Francês Ramael hoje em teste

Particular com o Santa Clara

O técnico francês Victor Zvunka tem hoje mais uma oportunidade para ver em ação a equipa figueirense. A Naval defronta o Santa Clara, às 18.30, no Municipal Bento Pessoa, num jogo em que Vincent Ramael será um dos jogadores em foco.
O avançado francês treinou-se ontem, pela primeira vez, no plantel navalista, tendo hoje a oportunidade de convencer Zvunka. Com 4 jogos efetuados na pré-época, a Naval continua sem conhecer o sabor da derrota: três vitórias e um empate.

Fonte: Record

Amanhã, jogo treino entre Naval 1º Maio e Santa Clara


Sábado, pelas 18h00 no Estádio Municipal José Bento Pessoa, jogo de treino da equipa de futebol profissional da Naval 1º de Maio, com o Santa Clara.

Vincent Ramael na Figueira para se mostrar a Zvunka

Avançado francês ex-Mónaco B pode ser reforço

O avançado Vincent Ramael, de 22 anos, chegou nesta quinta-feira à Figueira da Foz e irá começar a treinar-se amanhã com o plantel da Naval, confirmou o Maisfutebol junto do presidente do clube, Aprígio Santos. O jovem, oriundo do Mónaco B, jogou por empréstimo nas últimas duas épocas no A.F.C. Tubize e no SO Cassis Carnoux, mas está livre de qualquer compromisso, podendo assinar pelo emblema figueirense.
«É um jogador do qual recolhemos boas indicações mas terá de ser observado primeiro pelo Víctor. Em princípio, será para ficar mas nunca se sabe», afirmou o dirigente, sobre um processo em tudo semelhante ao de Kerrouche, que também chegou, há quase um ano, para cumprir testes e acabou por assinar contrato.
Ramael é descrito como um avançado possante, medindo 1,86 m, mas tecnicamente evoluído, que prometeu bastante nas camadas jovens e procura, agora, uma oportunidade para relançar a carreira.
A contratação deste avançado poderá servir para suprir a «deserção» de Fábio Júnior, embora, de acordo com Aprígio Santos, o jogador seja esperado «entre esta sexta-feira e sábado». Neste caso, a queixa na FIFA não avançará. «Nunca dissemos que o faríamos. Essas palavras ficam para quem as proferiu. São jogos de bastidores, provavelmente», acrescentou.
Mesmo que Fábio Júnior se apresente, depois de uma ausência de quase um mês, pode não haver condições para que o jogador seja reintegrado no plantel - estará, de resto, sob a alçada disciplinar no clube - e, atendendo a esse cenário, o ingresso de Ramael faria todo o sentido.

Diego Ângelo: decisão nas mãos da FIFA
 
Quanto à situação de Diego Ângelo, «devolvido» pelo Génova devido à nova lei de estrangeiros em Itália, o caso é bem diferente. «Queremos ver acautelados os nossos direitos, em relação àquilo que os italianos não pagaram, e, quando chegar a resposta da FIFA, o jogador prosseguirá a sua carreira normal, muito provavelmente no estrangeiro», referiu o presidente dos figueirenses, não confirmando qualquer aproximação de Benfica ou Sporting.
Entretanto, o médio Baradji, que deixou o clube em litígio no passado mês de Fevereiro, está à experiência no Wigan, de Inglaterra.


Dirigentes dão última chance a Fábio Júnior

AVANÇADO TEM DE REGRESSAR ATÉ AMANHÃ

A paciência dos dirigentes da Naval está no limite e, caso Fábio Júnior não se apresente até amanhã na Figueira da Foz, de forma a integrar os treinos, o clube vai enviar o caso para a FIFA.
O plantel navalista já trabalha há um mês, mas o avançado brasileiro, de 27 anos, continua sem aparecer. Ou seja, depois de ter sido a solução na época passada, agora vem sendo a base de todos os problemas do clube figueirense.
Com viagem marcada pelo menos em três ocasiões, o jogador recusou-se sempre a regressar do Brasil justificando-se com uma doença grave da filha. O caso ganhou contornos de maior gravidade quando o jogador se manteve incontactável, não respondendo aos sucessivos telefonemas dos dirigentes navalistas.
Ao que Record conseguiu apurar, a direção navalista terá fixado o dia de amanhã como limite para Fábio Júnior se apresentar ao trabalho. Caso isso não suceda – e o atleta já deu motivos de sobra para se acreditar que poderá voltar a não acatar as indicações do clube com o qual tem contrato –, a Naval recorrerá mesmo à FIFA.
Depois de várias tentativas para convencer o jogador a apresentar-se, o tempo de Fábio Júnior parece estar a esgotar-se.

Fonte: Record

Agente foi buscar Fábio Júnior


O agente FIFA Luís Oliveira viajou para o Brasil com o objectivo de convencer Fábio Júnior, atleta que representa, a apresentar-se na Naval.

O brasileiro já o devia ter feito no início do mês, para participar no estágio de pré-temporada, mas, segundo o próprio, uma questão familiar retém-no no seu país.

Esta é a segunda vez que o representante do avançado viaja para tentar resolver a situação. Da primeira foi em vão.

Fábio Júnior tem contrato com a Naval até 2013 - o clube accionou a opção de três anos que tinha após o desempenho que teve na segunda volta do campeonato, em que marcou golos frente a Benfica e Sporting -, mas parece não querer cumpri-lo, sabendo do interesse de clubes de maior dimensão em contar consigo na próxima época.

A Direcção navalista não faz qualquer comentário sobre a situação do jogador, aguardando que o mesmo se apresente na Figueira da Foz.
 
Fonte: A Bola

Diego Ângelo treina à parte

Diego Ângelo treinou ontem à parte com os adjuntos António Caetano e Fernando Mira, uma vez que a Naval quer ajudá-lo a manter a forma e, por isso, dá-lhe permissão para usufruir das instalações do José Bento Pessoa. Até ao fim da semana, o presidente dos figueirenses, Aprígio Santos, quer resolver a situação do brasileiro que assinou pelo Génova, de Itália. Devidamente autorizado, o técnico Victor Zvunka está em França a tratar de assuntos pessoais: ontem não treinou e só volta amanhã. 

Fonte: O Jogo

Naval avança para a FIFA contra Fábio Júnior

Avançado continua decidido a não voltar do Brasil


A Naval vai apresentar uma queixa na FIFA contra Fábio Júnior, assumiu ao Mais Futebol o empresário do jogador, Luís Oliveira. O avançado brasileiro devia ter-se apresentado na Figueira da Foz há mais de três semanas mas continua a mostra-se irredutível, permanecendo no Brasil alegadamente devido à doença da filha.

O representante do brasileiro garante ter feito tudo para o fazer voltar, assegura também que o clube tem procedido de forma correcta, mas admite haver outras razões por detrás deste caso. A via litigiosa tornou-se, desta forma, incontornável.

«A Naval vai avançar com o processo, por forma a impedir que o atleta possa jogar por outro clube e para ser ressarcida pelo seu incumprimento. Da última vez que falei com eles, o advogado já estava a tratar da papelada. É um direito do clube, que cumpriu todas as obrigações e esperou até ao limite. Não posso fazer mais nada. Nesta altura, ele já não pode desculpar-se mais com a criança. Já lhe mandaram quatro passagens e ele falhou todas elas. O Fábio é um bom jogador, mas não é o Cristiano Ronaldo, o Pelé ou o Eusébio. Há muitos como ele», referiu o empresário, visivelmente incomodado com a situação.

Desde o início que o jogador tem justificado a recusa em viajar para Portugal devido a um grave problema de saúde da filha mas os rumores de que algo mais estaria por detrás desta história surgiram de imediato. Sem abordar o assunto abertamente, Luís Oliveira deixa no ar outros motivos para a relutância do avançado: «A cabeça dele é muito fraca. Vai atrás de outras pessoas que lhe dizem que o conseguem meter aqui ou ali. Mas como vão fazê-lo se ele tem contrato com a Naval? Já fui quatro vezes à casa dele, atravessando vários estados e fazendo milhares de quilómetros de carro. Para mim chega. Agora, pode ser que ele perceba que a Naval não está a brincar.»

Diego Ângelo chegou à Figueira

CENTRAL INTEGRARÁ PLANTEL PARA JÁ


Diego Ângelo apresentou-se esta terça-feira na Figueira da Foz e, para já, integrará o plantel da Naval depois do Génova não ter honrado o compromisso de cinco temporadas assumido com atleta e clube português.

Aprigio Santos, presidente do clube figueirense, confirmou a presença do defesa-central, afirmando-se tranquilo em relação ao desfecho do diferendo com o italiano, que poderá acabar na FIFA.

Recorde-se que o "caso" Diego Ângelo estará a ser seguido por Sporting e Benfica com especial atenção.

Fonte: Record

Nogueira da Rocha: «Naval tem direito a receber a transferência»

NO CASO DO CENTRAL DIEGO ÂNGELO

O processo que envolve a transferência de Diego Ângelo da Naval para o Génova está envolto em alguma polémica. O jogador, de 24 anos, assinou pelos italianos mas estes, face à alteração da lei, que passou a permitir apenas um extracomunitário em vez de dois, querem que o central regresse à Figueira da Foz. A Naval não aceita que o atleta volte e este corre o risco de não ser inscrito.

Face a esta situação, Record contactou João Nogueira da Rocha, membro do Tribunal Arbitral do Desporto e advogado do Sindicato de Jogadores que foi bem explícito sobre esta matéria. “A Naval tem o direito a receber a verba correspondente à transferência, já que não tem culpa que a lei tenha sido alterada. Quanto ao jogador, há países que entendem que o mesmo tem de integrar o grupo de trabalho, enquanto a FIFA defende que os clubes podem decidir, por exemplo, contratar 50 jogadores, mas só inscrever 25.”

Os transalpinos acordaram pagar cerca de 1,5 milhões à Naval pela venda do passe de Diego Ângelo. A verba será saldada em várias parcelas, sendo que o clube figueirense já terá recebido cerca de 600 mil euros. Mas o presidente dos navalistas, Aprígio Santos, garante que “os compromissos são para cumprir” e assegura que pretende receber a transferência na íntegra.

Decisão interna
O especialista em Direito Desportivo crê, que o caso poderá ser resolvido internamente, isto é, pelo Comissão Arbitral Paritária italiana. “Creio que o caso não vai chegar à FIFA. Os italianos têm a Comissão Arbitral Paritária que resolverá a situação, se necessário for.”

Mais informações na edição impressa de Record

Fonte: Record

Camora aponta para outros voos

PROJETA ÉPOCA MELHOR QUE A ÚLTIMA


Após quatro semanas de trabalho, a equipa da Naval começa a apresentar resultados positivos, a par com exibições bem conseguidas. A última vitória (3-0), frente ao Al-Ittihad, moralizou ainda mais a equipa, que somou o terceiro triunfo em 4 jogos de preparação.

Camora, um dos jogadores em destaque nesta fase, está consciente “do trabalho que o plantel tem ainda pela frente”; o médio, de 23 anos, lembra, porém, que “tem existido evolução, o que é muito importante”.

Muitas vezes utilizado a lateral-esquerdo, é em posições mais adiantadas que Camora se sente melhor. Zvunka tem apreciado as qualidades do jogador natural de Samora Correia e concedeu-lhe a condição de titular na maior parte das ocasiões. “Tenho-me sentido muito bem”, assegura Camora, acrescentando: “Luto sempre para ser cada vez melhor.”

O 7.º lugar conseguido na temporada anterior coloca a fasquia para esta época elevada. Ainda assim, o otimismo de Camora é grande: “Podemos fazer melhor do que conseguimos na temporada anterior. Os reforços têm trabalhado muito e dá para ver que têm valor.”


Surpreender o FC Porto

Consciente de que “as vitórias têm dado moral à equipa”, Camora já só espera pelo início do campeonato. “Já estamos todos um pouco ansiosos pelo arranque, e ainda por cima começamos contra um clube grande”, refere o esquerdino, não colocando de parte a hipótese de começar a época com uma surpresa no jogo ante o FC Porto: “Estamos a vencer e queremos entrar... a vencer.”

Em último ano de contrato, a intenção é clara: “Fazer uma época de qualidade para no final poder pensar num clube com outros objetivos.”

Fonte: Record 

Nota: Para os mais distraídos, a Naval ficou em 8º lugar, e não em 7º como refere o Record em cima.

Caso Diego pode acabar na FIFA

FIGUEIRENSES ACUSAM GÉNOVA DE INCUMPRIMENTO


O presidente da Naval 1.º de Maio, Aprígio Santos, revelou à agência Lusa que o clube e Diego Ângelo ponderam apresentar queixa na FIFA contra o Génova, de Itália, por incumprimento dos compromissos inerentes à contratação do futebolista brasileiro.

Após "grande namoro", Diego Ângelo assinou com o Génova um contrato válido por cinco temporadas e apresentou-se em Itália, mas uma recente alteração à lei, que reduziu de dois para apenas um jogador extracomunitário por equipa, levou o clube italiano a prescindir do defesa central.

A posição assumida pelo clube italiano surpreendeu os dirigentes navalistas, uma vez que o Génova já tinha pago uma tranche do negócio.

Aprígio Santos, que nos próximos dias vai reunir-se com Jorge Mendes, representante de Diego Ângelo nas negociações para a transferência, sublinhou: "Nem a Naval, nem o jogador estão disponíveis para desistir do que quer que seja. Compromissos são para se cumprir".

O jogador está na Figueira da Foz e indisponível para falar sobre o assunto, mas vai treinar com o plantel navalista para manter a forma até que seja encontrada uma solução para o caso.

Nos últimos dias a imprensa portuguesa tem afirmado que Benfica e Sporting podem estar interessados no jogador, mas Aprigio Santos reitera: "Diego Ângelo é jogador do Génova, tudo quanto se possa afirmar de momento é prematuro".

"Nesta vertente tenho pouco a dizer, limito-me a pugnar pela defesa intransigente dos direitos que assistem à Naval. Daí, ou o Génova cumpre os compromissos assumidos, ou o assunto transita para a FIFA", garantiu.

Fonte: Record

Naval bate (3-0) Al Ettihad de Manuel José na apresentação

Equipa da Figueira com boa dinâmica ofensiva na primeira parte


A Naval venceu (3-0) neste sábado o Al Ettihad, equipa da Arábia Saudita treinada por Manuel José, no jogo de apresentação para a nova época dos figueirenses. O resultado foi construído na primeira parte, graças a um «bis» de Previtali e mais um golo do central Rogério Conceição.

A equipa de Victor Zvunka mostrou bons argumentos ofensivos, pelo menos enquanto o onze mais forte esteve em campo.

Na segunda metade, o técnico aproveitou para fazer, naturalmente, algumas experiências.

A Naval alinhou com Salin; Carlitos, Lupède, Rogério Conceição e Daniel Cruz; Godemèche e Alex Hauw; João Pedro, Hugo Machado e Camora; Previtali; jogaram ainda Zé Mário, Giualiano, Real, Simplício, Orestes e Marinho.

Depois do jogo, o clube da Figueira organizou um jantar de homenagem a Manuel José.

Manuel Curto apresentado

Médio feliz por chegar à 1.ª divisão

Depois de concluir o segundo treino como jogador da Naval, Manuel Curto foi apresentado às 12 horas desta sexta-feira. As primeiras palavras do médio de 24 anos foram de "felicidade por ter chegado à 1ª divisão".

Formado no Benfica, o jogador vestiu a camisola do Estoril na temporada anterior, depois de passagens por clubes de divisões inferiores. Curto sublinha a importância "de se passar por dificuldades", uma vez que assim "percebemos que só com sacrifício se consegue chegar lá a cima".

Manuel Curto foi internacional em todas as seleções jovens, tendo jogado com João Pedro, outro dos reforços navalistas para esta época. Melhor marcador do Europeu de Sub-17, com cinco golos marcados, Curto é peremptório quando questionado sobre a sua posição preferida: "Nesse Europeu fiz dois jogos como avançado, mas é no meio-campo que me sinto melhor e onde tenho jogado sempre", refere.

Assinou contrato até 2013 com a Naval, onde vai jogar com a camisola n.º 5. 

Fonte: Record

Alteração da hora do jogo de apresentação

O encontro de sábado, entre a Naval e o Alittah, foi alterado para as 18 horas. Contamos com a vossa presença...
Depois do jogo, seguir-se-á um jantar (para equipa técnica, jogadores e órgãos sociais) e uma pequena homenagem da Naval a Manuel José, um dos grandes nomes do Futebol Português.

Manuel Curto assinou por três épocas



Médio ex-Estoril de 24 anos que esteve à experiência

O médio Manuel Curto é o nono reforço da Naval para a próxima época, confirmou ao Maisfutebol o presidente do clube, Aprígio Santos. «Já é jogador da Naval. Assinou por três épocas e agora tudo depende dele», afirmou o presidente, confiante nas potencialidades do ex-Estoril que, recorde-se, esteve à experiência durante o estágio em Nelas.

Ainda no mercado, Aprígio Santos disse ter recebido a informação de que Fábio Júnior «poderá chegar ainda esta semana» mas prefere ver para crer. «Não digo nada. Acredito que o problema familiar seja grave, mas tanta espera já começa a chatear-me. Vou esperar um pouco mais, pois trata-se de um activo da Naval e a situação tem de resolver-se com calma e bom-senso. Vamos ver se é verdade a desculpa que deu e agiremos em conformidade», acrescentou.

Se não for possível o regresso do avançado, já se sabe que a FIFA será informada, mas, em termos práticos, será também preciso recrutar um novo jogador para essa posição, que não será Nei: «Está descartado, pois assinou por um clube chinês até Novembro. De qualquer forma, temos um ou dois jogadores referenciados em França.»


Génova quer devolver Diego

Italianos não querem pagar a transferência, figueirenses não querem o jogador de volta.

A Direcção da Naval foi apanhada de surpresa pelo desejo do Génova em devolver Diego Ângelo. A transferência do defesa-central brasileiro para o emblema italiano foi acertado bem antes do final da temporada, o jogador rubricou um contrato válido por cinco temporadas, mas os dirigentes queriam agora cedê-lo a título de empréstimo a um clube de uma divisão inferior. O problema é que as leis do futebol italiano não permitem que o Génova empreste o central, pelo que os seus dirigentes pretendem agora fazer com que Diego Ângelo regresse à Figueira da Foz. O clube italiano ainda não pagou à Naval o que ficou acordado e não pretende fazê-lo.

A Direcção da Naval, por outro lado, entende que o contrato para a transferência foi assinado, todos os valores ficaram acertados e, como tal, não tem qualquer interesse em receber o jogador de volta. Um processo que pode dar ainda muito que falar.

Fonte: A Bola

Génova ainda não pagou Diego Ângelo
 
Outro assunto do dia na Naval prende-se com a transferência de Diego Ângelo para o Génova. O jogador, recorde-se, assinou por cinco épocas mas, segundo o presidente do emblema figueirense, os italianos ainda não pagaram qualquer verba pela aquisição. «É uma situação estranha, que não consigo perceber. Está em causa um montante considerável e um contrato de cinco anos, com cláusulas penalizadoras e todos os prazos já foram vencidos. Não só não pagaram como não entraram em contacto connosco», referiu.


Caso o Génova queira devolver o central, haverá custos para o clube italiano, garante o presidente: «Não sei o que pretendem fazer. Mas se o devolverem, vão ter de pagar a indemnização estipulada. O jogador até já fez três jogos por eles, em Maio e até escolheu casa. Neste momento, penso que a empresa do Jorge Mendes estará a acompanhar a situação e a tentar resolver o assunto. Estou à espera que me digam alguma coisa.»

Segundo foi possível apurar, devido à mudança da lei que rege os estrangeiros em Itália, o jogador passou a ser considerado extra-comunitário e ficou sem espaço no plantel. O empréstimo seria a via natural mas todas as equipas estão a ser afectadas pelo mesmo problema, daí ter sido levantada a possibilidade de o jogador voltar à Figueira.

Vitória (2-0) sobre equipa do Sindicato de Jogadores do Norte


Camora e o Previtali fizeram os golos, ambos na segunda parte

A Naval continua a fazer bons resultado nesta pré-época e, já depois de ter vencido a Oliveirense (2-1) e empatado a zeros com o Beira Mar, bateu nesta quarta-feira a equipa da zona norte do Sindicato de Jogadores por 2-0.Os golos, ambos obtidos na segunda parte, foram apontados por Camora e Previtali.

Victor Zvunka fez alinhar o seguinte onze: Jorge Batista; Zé Mario, Lupède, Real e Jonathas; Godemèche, Giuliano e Davide; Marinho, Simplício e Edivaldo. Jogaram ainda: Salin, Godinho, Gomis, Carlitos, Orestes, Daniel Cruz, Alex Hauw, Hugo Machado, João Pedro, Previtali e Camora. O central Rogério treinou à parte, enquanto o guarda-redes Bruno não jogou por opção.

A Naval volta a jogar neste sábado, pelas18h30, diante do Al Ittihad, equipa treinada por Manuel José que estagia em Portugal. A partida servirá para a apresentação oficial da equipa, que apresentará o equipamento para a nova época.

Fonte: Mais Futebol

Empresário discute Fábio Júnior

O representante de Fábio Júnior está na Figueira da Foz para conversar com os responsáveis da Naval, no sentido de resolver a situação do avançado brasileiro que, quase um mês após o fim das férias, continua sem se apresentar para treinar. A SAD mantém silêncio relativamente a este caso, que poderá ser agora desbloqueado. 

Fonte: O Jogo

Jogo-treino com o Sindicato


Hoje no Bento Pessoa

Depois de Oliveirense e Beira-Mar, a equipa da Naval prossegue hoje o plano de jogos particulares agendados para esta pré-época, ao defrontar, às 18h00, a equipa do Sindicato de Jogadores Profissionais de Futebol, no Estádio Bento Pessoa, na Figueira da Foz.

O técnico Victor Zvunka continua a observar os jogadores do plantel, que ainda conta só com 24 elementos, uma vez que Fábio Júnior ainda não voltou a Portugal. Tandia e Kovacevic, apesar de terem contrato, trabalham à parte, aguardando decisão em relação ao seu futuro.

A situação de Manuel Curto permanece uma incógnita. O jogador foi chamado a integrar o estágio em Nelas, mas desde o regresso à Figueira da Foz que não faz parte dos treinos da equipa. Ao que apurámos, o interesse existe, mas o acordo com o jogador ainda não foi conseguido, pelo que os próximos dias poderão ser decisivos nas negociações.
Fonte: Record

Victor Zvunka: «Fazer época tão boa como a anterior»

Entrevista Record

RECORD – Chega a Portugal depois de toda a carreira em França. Como aconteceu o convite da Naval?

VICTOR ZVUNKA – Recebi um telefonema do sr. José Ferreira [ndr. diretor da Naval] no qual me explicou o funcionamento do clube e perguntou se estava interessado em vir à Figueira da Foz. Dois dias depois, estava na Figueira, falei com o presidente, visitei as instalações do clube, fui a Quiaios e fiquei a par do plantel.

R – Aceitou de imediato?

VZ – Bastaram três ou quatro dias. Por telefone, aceitei o convite. É bom para mim, uma vez que estou a trabalhar na 1.ª Divisão, mas também pelo sr. José Ferreira. Outro aspeto que achei importante foi o de muitas pessoas, incluindo o presidente, falarem francês. Assim, a língua não será um problema.

R – O que conhecia de Portugal?

VZ – Tudo o que conhecia era através da televisão. Mas conheci sempre muitos portugueses por onde passava. A minha filha teve sempre amigos portugueses.

R – Já tinha estado cá?

VZ – Só uma vez. Estive no Porto a ver os quartos-de-final contra o Brondby, quando o FC Porto foi campeão europeu pela primeira vez. Disseram-me: “Se formos à final, convidamos-te.” Assim foi, estive em Viena, quando Madjer marcou o golo de calcanhar.

R – Conhece Madjer?

VZ – Claro que conheço. Joguei com ele no Racing CF e fui treinador dele no ano seguinte. Ainda estamos muitas vezes em contacto, por telefone e mesmo pessoalmente. Foi um jogador extraordinário, muito forte. Foi por causa dele que conseguimos subir de divisão.

R – Que outras referências tem?

VZ – A grande referência da minha juventude é Eusébio, claro. Mas lembro-me de toda a equipa do Benfica dessa altura, Costa Pereira, Coluna, Simões... enfim, o Benfica.

R – Aprígio Santos disse que queria um técnico 24 horas por dia…

VZ – Em alguns clubes por onde passei, fui o responsável por tudo o que acontecia, mesmo quando era treinador principal. Aqui, quando a época começar, quero também estar a par do que vai acontecendo nos escalões de formação.

R – Que clube encontrou na Naval?

VZ – Em termos de condições de trabalho, penso que a Naval está ao nível de um clube do meio da tabela em França, como Le Mans, Nice ou Valenciennes. O estádio devia ter melhores condições, seria bom para nós, mas principalmente para os jovens.

R – Esse é o ponto mais negativo?

VZ – Sem dúvida. Ainda por cima existe espaço ao lado do estádio para que se pudessem fazer obras. Em Nelas, por exemplo, existem dois campos com ótimas condições.

R – Que impressão tem da equipa a nível desportivo?

VZ – Tenho uma noção do que vale a equipa, mas preciso de mais tempo. Trabalhámos muito a parte física. A nível de disciplina é um bom grupo, mas pode melhorar no aspeto da concentração.

R – Existem diferenças entre o jogador português/brasileiro e o francês?

VZ – Não existem grandes diferenças, mas penso que o jogador português/brasileiro gosta sempre de dar mais um adorno na bola.

R – Quais os objetivos para a época?

VZ – Quero fazer uma época tão boa como a anterior, mas não esquecendo que o principal objetivo é a permanência.

R – Sabe que o presidente tem o sonho de chegar à final da Taça de Portugal...

VZ – Também eu tenho esse sonho, mas não vale a pena estar a falar disso porque é uma prova a eliminar.

R – Ansioso pela estreia com o FC Porto?

VZ – Ainda não, falta muito tempo. Agora estou concentrado na minha equipa e depois vou concentrar-me na equipa adversária. Sei que eles também estão em construção, uma vez que chegou um novo treinador e muitos jogadores. Será um jogo muito difícil.

R – Quanto tempo espera permanecer em Portugal?

VZ – Quando vou para qualquer lado, o meu objetivo é ficar o máximo de tempo possível, mas isso depende de muitas variáveis. Estamos sempre dependentes dos resultados, são eles que fazem com que fiquemos mais ou menos tempo.

R – Normalmente, não fica muito tempo no mesmo clube…

VZ – Mas quando estou, concentro-me a 110% ou 120% nesse clube.

R – Como sente que a equipa está a reagir às suas ideias?

VZ – Confesso que no início foi difícil, mas agora sinto que a equipa já está a fazer as coisas como eu gosto.

R – O 4x2x3x1 é a tática de Zvunka ou a que melhor se ajusta à Naval?

VZ – Quero ver a equipa neste esquema e depois logo decidirei se mantenho ou não. Não tenho problemas em mudar, caso veja que não está a resultar.

R – Ainda conta com Fábio Júnior?

VZ – Contar, conto, mas ele ainda não está aqui. Quando chegar, vai ter de fazer tudo o que os outros já fizeram. Vai ter de sofrer sozinho.

R – Qual o melhor futebolista que já viu jogar?

VZ – Josip Skoblar, avançado jugoslavo, recordista de golos numa só época em França [ndr. marcou 44 em 1971], mas também Salif Keita, que jogou aqui em Portugal, no Sporting.

R – Representar a seleção francesa foi o ponto mais alto da carreira?

VZ – Foi uma honra e um orgulho, mas ganhar a Taça foi o melhor dos momentos. Foi mais bonito. 

R – Enquanto jogador ou treinador?

VZ – Treinador. Porque foi num clube da 2.ª Divisão [ndr. em 2009 no Guingcamp] e só dois clubes o conseguiram.

Fonte: Record

Nei mais próximo de substituir Fábio Júnior


Goleador desejado por Aprígio Santos afinal ainda não assinou pelo Beijing FC

Tempo e paciência. São, essencialmente, estas as duas directrizes que a Naval terá de seguir nos próximos dias em relação ao problema causado pela ausência de Fábio Júnior nos trabalhos de pré-época. O motivo que prende o avançado brasileiro no país natal já foi explicado pelo representante do jogador, que diz agora ao Maisfutebol ter recebido da parte dos figueirenses a informação de que ainda estarão na disposição (até quando?) de aguardar algum tempo. «Entre uma semana e dez dias», referiu Luís Oliveira.

De qualquer forma, Fábio Júnior ficará sempre sujeito à disciplina do clube e, no limite, será apresentada uma queixa na FIFA, já que o avançado tem mais três anos de contrato com a Naval.

Na manga, Aprígio Santos tem o regresso do goleador Nei, outro processo para, lá está, ser gerido com tempo e paciência. Aquilo que parecia impossível na semana passada pode estar, agora, próximo de se concretizar. Segundo foi possível apurar, o brasileiro, a despeito de já estar na China, ainda não assinou pelo Beijing FC - o contrato seria de quatro meses apenas - , devido ao excesso de estrangeiros no clube.

Para que Nei se comprometa com o emblema chinês, será preciso libertar uma vaga e o empresário do jogador já deixou bem claro que só irá esperar até quarta-feira para resolver a situação. Caso contrário, o principal candidato a substituir Fábio Júnior fica novamente livre no mercado.

Fábio Júnior não apareceu

Fábio Júnior não se apresentou na Figueira da Foz, passando agora a estar sob alçada disciplinar da Naval, que vai dar conhecimento à FIFA do incumprimento.

A cerca de um mês do início do campeonato da Liga, a direcção figueirense estuda alternativas e Nei, melhor marcador da Naval em 2006/2007, pode regressar.

«Espero que na próxima semana possamos avançar para coisas concretas», afirmou o avançado, que tem contrato de três meses com os chineses do Beijing.

Fonte: Jornal A Bola

Beira Mar empata (0-0) com a Naval em Estarreja

Mais um jogo para preparar a nova época

Beira Mar e Naval defrontaram-se neste sábado em Estarreja num encontro que se saldou por um nulo mas terá, certamente, permitido aos respectivos treinadores tirar algumas conclusões nesta fase da pré-época.

Do lado dos aveirenses, o jogo serviu para Leonardo Jardim continuar a avaliar atletas à experiência, casos do guarda-redes Cedric Mensah,do médio Farid Beziouen ou dos jovens Fábio Silva e Tiago Barros.

Já a Naval, não conta mais com George, que regressará ao clube-satélite (Tocha), Manuel Curto e João Mendes, atletas observados durante o estágio em Nelas, mas descartados por Victor Zvunka para o plantel principal dos figueirenses.

O Beira Mar sofreu, desta forma, um travão nos triunfos nesta pré-temporada, depois de ter batido o Feirense e o Penafiel, enquanto a Naval juntou um empate à vitória obtida na passada quarta-feira, sobre a Oliveirense.

O Beira Mar jogou com Rui Rego; Danilo, Kanu, Hugo e André Marques; Djamal, Rui Sampaio e João Luiz; Leandro Tatu, Artur e Rui Varela. Jogaram ainda: Cedric Mensah, Bruno Conceição, Marx Ferraz, Yohan Tavares, Wilson Eduardo, Farid Beziouen, Fábio Silva, Tiago Barros, Pedro Araújo e Tinoco.

Quanto à Naval, fez alinhar: Salin; Carlitos, Lupéde, Rogério Conceição e Daniel Cruz; Godemeche, Alex Hauw; João Pedro, Hugo Machado e Camora; Previtali. Jogaram ainda: Jorge Baptista, Davide, Edivaldo, João Real, Michel Simplício, Godinho, Giuliano, Marinho, Jonathas e José Mário.

João Pedro satisfeito com primeiro ensaio

Quer ter êxito no clube da Figueira da Foz


Após uma época de sucesso na Oliveirense – onde, como faz questão de sublinhar, “quase acontecia um milagre” com a luta pela subida de divisão –, João Pedro tem agora um novo desafio: “Ter êxito na Naval.”

Para começar... não está a correr mal. O jovem, formado no Sp. Braga, tem sido um dos jogadores em destaque da pré-temporada dos navalistas, tendo, inclusive, marcado um golo no jogo de estreia, frente à Oliveirense, a sua anterior equipa.

“Para primeiro ensaio penso que correu muito bem”, afirma João Pedro, que prefere realçar a exibição em detrimento do golo. “Não foi o mais importante”, assume.

Mais exigência

Agora, os objetivos estão definidos. “Quero jogar o mais possível e ajudar a equipa, esse é o meu principal objetivo”, afirma o jogador, de 24 anos, que não está a notar grandes diferenças entre a Oliveirense e a equipa figueirense, apenas “maior exigência, uma vez que é uma equipa da 1.ª Divisão”, sublinha. 

Fonte: Record

Zvunka chumba trio que está à experiência

Victor Zvunka ainda não o comunicou, publicamente, mas já traçou o destino a Manuel Curto, George e João Mendes: não vão integrar o plantel navalista para 2010/11. Uma decisão que surge no seguimento do teste contra a Oliveirense e de alguns treinos pelo trio realizado.

Manuel Curto, que fez toda a formação no Benfica, e que na época passada alinhou no Estoril, procurava dar o salto na carreira, mas sem sucesso.

Já George regressa ao "satélite" Tourizense para dar seguimento ao seu amadurecimento. Por último, João Mendes terminou o contrato com a Naval e parece que não vai renovar. 

Fonte: O Jogo 

Naval: «doença da filha» retém Fábio Júnior no Brasil

Empresário do jogador chega no domingo a Portugal para falar com a Naval

O brasileiro Fábio Júnior tem a filha internada no Brasil e é esse o motivo que o jogador alega para ainda não se ter apresentado na Figueira da Foz. A garantia é dada pelo empresário do jogador, Luís Oliveira, que nega que o avançado não pretenda regressar.

«Ele está com um problema de saúde da filha e enquanto essa situação não se resolver, não volta. Quando tudo estiver ultrapassado, o Fábio vai voltar a Portugal que é isso que ele quer. Agora, a filha tem dois, três anos e se não melhorar vai ser complicado. Não vale a pena ele estar a ir para Portugal para ter de andar sempre a voltar ao Brasil, para além de não ter cabeça para estar longe dela», explicou Luís Oliveira ao  Maisfutebol.

O agente chega a Portugal no domingo para conversar com a Naval e garante que a ideia do jogador «é voltar», embora tenha em carteira outras opções. «Vou ter de falar com o clube. Eles não vão abdicar do jogador, mas podemos tentar um empréstimo cá no Brasil se a situação não melhorar, para que não seja um ano perdido», afirmou.

Luís Oliveira diz que o jogador não recebeu qualquer proposta concreta, embora no Brasil se noticie o interesse de alguns clubes. «Fala-se de alguns nomes, mas nada em concreto. Até porque ainda não conversei com a Naval para vermos a vontade de todos. O Fábio quer voltar, fazer uma grande época e, no final, dar o salto para um clube maior», garantiu o agente.

O desfecho do caso dependerá, pois, da conversa que Luís Oliveira terá com os responsáveis da Naval, sendo certo que, caso a justificação do jogador levante suspeitas e o seu regresso se afigure inviável, o recurso à FIFA será sempre um cenário a considerar.


Ney preso por negócio da China

Apesar de o mercado encerrar apenas a 31 de Agosto, os figueirenses já equacionam alternativas na eventualidade de o avançado não voltar mais. Adepto do regresso de atletas que se deram bem no clube (e cuja venda até proporcionou um bom encaixe financeiro), como foi o caso de Orestes, Aprígio Santos sonha com o retorno de Ney, mas a operação afigura-se deveras complicada. 

O brasileiro chegou nesta quinta-feira à China, para representar o Beijing FC, pelo qual assinou um contrato de curta duração - até Novembro - mas altamente compensador do ponto de vista financeiro. Não será fácil, por conseguinte, conseguir obter o seu concurso neste momento, até porque isso implicaria a quebra de um acordo previamente estabelecido, além de uma significativa quebra nos rendimentos do antigo goleador navalista.



Jogadores à experiência não se treinaram

Descompressão no regresso à Figueira da Foz

Depois de dez dias em Nelas, local onde esteve em Estágio até ontem, a equipa treinada por Victor Zvunka regressou aos treinos na tarde desta quinta-feira, já na Figueira da Foz.

O momento é de descompressão, depois de dias em que os treinos foram, principalmente, de índole físico. O plantel trocou o relvado pelo parque das Abadias, tendo feito trabalho de recuperação do esforço das últimas semanas.

À espera do veredicto, George, João Mendes e Manuel Curto já não treinaram, estando agora à espera da palavra final de Zvunka. Curiosamente, Kovacevic, Nkake e Tandia, jogadores dispensados pelo treinador francês, trabalharam juntamente com o restante plantel.

Amanhã o grupo volta a treinar no municipal “Bento Pessoa”, tendo duas sessões marcadas, às 10h e às 17h.

Fonte: Record

Hugo Machado embalou Naval para a vitória

O reforço ex-Standard Sumgayit destacou-se no encontro de ontem. A Naval entrou na nova época a ganhar, batendo a Oliveirense por 2-1

Fonte: Diário de Coimbra

Orestes com nota positiva no teste Vameval

DEFESA BRASILEIRO RECUPERA TEMPO PERDIDO

O treinador Victor Zvunka tinha avisado Orestes: “Teve mais tempo de férias, vai ter de sofrer sozinho”. Com cerca de duas semanas de atraso, o defesa brasileiro tem vindo a cumprir treino individualizado.

Depois da sessão desta quarta-feira, Orestes permaneceu no Municipal de Nelas, onde esteve cerca de 20 minutos a realizar o teste Vameval. O conceito é simples: correr entre cones, aumentando 0,5 km/hora por minuto. Orestes chegou ao nível 16, resultado que deixou os responsáveis navalistas satisfeitos.

Esta tarde a equipa da Naval tem o primeiro jogo particular, frente à Oliveirense, mas Orestes ainda não é opção.

Fonte: Record

Vitória (2-1) sobre a Oliveirense


NOTA POSITIVA NO PRIMEIRO TESTE DE ZVUNKA

A Naval venceu esta quarta-feira a Oliveirense, por 2-1, com golos de Lupède (57m) e João Pedro (77m). Os dois tentos nasceram após assistências de Hugo Machado.

Laranjeira, aos 67 minutos, ainda empatou, mas a melhor dinâmica da equipa figueirense permitiu chegar à vitória.

Victor Zvunka cumpriu, assim, o primeiro teste ao 4x2x3x1 que pretende implementar, fazendo alinhar: Jorge Batista; Carlitos, Gomis, Rogério e Jonathas; Godinho e Godemèche; Marinho, Davide e Camora; Previtali.

Jogaram ainda: Salin, Bruno, Zé Mário, Lupède, João Real, Daniel Cruz, Alex Hauw, Manuel Curto, João Pedro, Hugo Machado, Giuliano, George, João Mendes, Simplício e Bolívia. Apenas Orestes não participou no encontro, por ainda estar atrasado na preparação.

O estágio em Nelas termina da melhor forma para a equipa da Naval, que regressa à Figueira da Foz onde amanhã tem treino marcado, às 18 horas.

Zvunka testa 4x2x3x1 em Nelas

AMANHÃ HÁ JOGO-TREINO COM OLIVEIRENSE

Agendado inicialmente para a Figueira da Foz, o primeiro jogo treino da Naval, frente à Oliveirense, será disputado esta quarta-feira, às 17h30, mas no municipal de Nelas. As obras de remodelação do José Bento Pessoa ainda decorrem, o que motivou a mudança de planos.

Esta é a primeira oportunidade para o técnico Victor Zvunka testar o 4x2x3x1 que pretende ver no futebol da equipa navalista.

No treino desta terça-feira José Mário já não mostrou qualquer limitação, podendo integrar o trabalho de forma normal. Orestes também dá sinais de estar cada vez mais perto da melhor forma, sendo previsível que o reforço brasileiro possa jogar alguns minutos no jogo de amanhã.

Fonte: Record

Marinho reencontra Hugo Machado na Naval

À espera de uma boa época

Marinho cumpre a sua terceira temporada na Naval. Quatro anos depois de deixar Alvalade, reencontra Hugo Machado, “capitão” que conheceu durante a sua formação.


O futebol tem destas coisas. Marinho e Hugo Machado mantêm amizade antiga (ambos defenderam o Sporting), mas o destino separou-os quando acabaram as equipas B. Marinho rumou a Fátima e, depois, à Naval, enquanto Hugo Machado teve passagem fugaz pelo E. Amadora e Barreirense, partindo para o estrangeiro. Quatro anos depois, o reencontro entre “Chelinhas” (forma como Hugo Machado sempre tratou Marinho) e “Xáxá” (diminutivo de Machado).

“Para além de reencontrar um grande amigo, estou feliz por estarmos novamente a defender a mesma camisola”, diz Marinho, lembrando que “Hugo é um excelente jogador e vai ser uma grande ajuda para atingirmos os nossos objectivos”.

Quanto ao estágio, Marinho não está surpreendido com o trabalho desenvolvido. “Diferenças, claro que há”, já que a Naval tem “um novo treinador, o que pressupõe uma nova cultura e métodos de trabalho diferentes, mas que visam objectivos precisos. Com mais ou menos dificuldade, temos de nos adaptar e cumprir”, frisa.

O grupo tem sido sujeito a fortes “tareias”, mas o extremo desvaloriza a questão…. e justifica: “Primeiro, o grupo tem correspondido de forma positiva. Depois, há que ter em conta que o campeonato é duro e temos de estar preparados para uma boa resposta”.

Marinho já fez o perfil de Zvunka e diz que se trata de “um treinador rigoroso e muito organizado”.

Sobre as mexidas no plantel, reconhece que as saída sde Peiser, Diego e Lazaroni “significam a perda de três jogadores importantes”. Todavia, no futebol, “isso é habitual e estou convicto de que os que vêm também são importantes e vão suprir as lacunas”.

Quanto ao futuro, Marinho vai entrar no seu último ano de contrato e “não coloca um teto na ambição”. O jogador lembra que “foi a Naval que me trouxe à Liga e terá sempre a minha preferência”, mas “pode surgir uma oportunidade boa para as duas partes que ninguém rejeitará”.

Jogo-treino alterado

O primeiro jogo de preparação da Naval vai ser amanhã (18H00) em Nelas e não na Figueira como estava previsto, já que as obras do relvado do “Bento Pessoa” não permitem ainda a sua utilização. Já no dia 21, a equipa navalista defronta a delegação Norte do Sindicato dos jogadores (às 18H00, na Figueira).

Fonte: As Beiras

Jorge Baptista na “pole position”

Guarda-redes mostra-se confiante na titularidade

Depois de duas épocas em que foi relegado para o banco, Jorge Baptista parece agora estar à frente na corrida pelo lugar na baliza navalista.
As opções passam pelo jovem português Bruno e o reforço francês Salin. Este último tem tido alguns problemas físicos no estágio de Nelas, um dos motivos que leva Baptista a assumir estar à frente pela titularidade. “Estou a trabalhar muito e com vontade de jogar. Se estou bem e sem problemas físicos, nesse aspeto parto em vantagem na luta pelo lugar”, refere o guardião de 33 anos. “Sempre trabalhei de igual forma, estando a jogar ou não. Estou de consciência tranquila em relação ao que fiz quando fui chamado à baliza”, sublinha.
Sendo um dos capitães de equipa, a integração dos novos jogadores é um “dossiê” que Jorge Baptista gosta de agarrar, sobretudo durante o estágio. “Penso que faço isso naturalmente. Se calhar porque já passou por muitas coisas durante a minha carreira, sei que eles precisam de uma orientação quando chegam a um novo clube”, lembra.
À parte. O brasileiro Orestes, por ter integrado o estágio mais tarde que os colegas, e o jovem português José Mário, devido a um pequeno traumatismo, treinaram-se ontem à margem do restante grupo de trabalho, num dia em que o apuramento técnico e a finalização foram privilegiados pelo técnico Victor Zvunka.

Fonte: Record

Orestes, o maratonista

Quando toca a alvorada em Nelas, todos sabem qual é o castigo imediato, às sete horas em ponto e, naturalmente, em jejum. Dia sim, dia não, ou até mesmo diariamente, o plantel da Naval sai para a rua bem cedo e desata a correr, percorrendo normalmente uma média de cinco quilómetros. Uma violência para quem costuma, à mesma hora, situar-se no segundo sono. Victor Zvunka já explicou que semelhante prática, a mesma que Jorge Jesus tem implementado durante o estágio do Benfica na Suíça, serve para "despertar" os atletas para o trabalho concreto (dos treinos) e, em última instância, prepará-los para o "sofrimento" de uma época desgastante.
Não é o mesmo que tortura chinesa, mas tem custado realmente, ou não fosse uma novidade para todos tanta carga de trabalho e, ainda por cima, sem nada no estômago. Perdão, todos não. Há uma excepção chamada Orestes. De regresso ao clube da Figueira da Foz (chegou domingo) para satisfazer as saudades da esposa, o médio brasileiro depressa surpreendeu, tanto os companheiros como o próprio treinador francês, pela frescura física que revela enquanto cumpre o tal suplício matinal. Pudera. Madrugar e correr como um desalmado eram coisas que o "reforço", ex-Hansa Rostok, aprendeu a fazer durante a sua passagem pela Alemanha.
Lá, no país da Bundesliga, os estágios eram mais longos (duravam 15 dias) e as distâncias percorridas raramente de situavam abaixo dos 16 quilómetros e, de preferência, a subir. De volta aos bizarros treinos de Zvunka, pode já avançar-se, em números redondos, que o conta quilómetros do plantel já andará pelos 40, isto na versão exclusivamente "footing" matinal; falta contabilizar, obviamente, os restantes (e não são poucos) coleccionados nos treinos realizados na relva e respectivas calorias queimadas. Nada que incomode Orestes, agora transformado também num sério maratonista. Para não variar, passou a manhã a correr, na companhia de José Mário, a recuperar de uma pancada, e a impressão que deixou é que até será capaz de o fazer, pleonasmos à parte, com uma perna às costas. Para o grupo ficar totalmente fechado, só falta Fábio Júnior, algures no Brasil e sem data marcada para se apresentar. Também ele terá de se apressar, se preferência, a correr, pois, caso contrário, terá à sua espera uma multa avultada, ao abrigo do regulamento interno do clube. Preso por mais dois anos de contrato, virou tema "tabu" entre a comitiva.


Jogo com Oliveirense marca fim do estágio

Está quase cumprida a primeira etapa da pré-época para a Naval. A equipa despede-se amanhã de Nelas para regressar à Figueira da Foz, mas antes da partida ainda medirá forças com a Oliveirense, da Liga de Honra, num jogo agendado para as 17h30. Será o primeiro jogo particular dos verdes e brancos, sendo previsível que Victor Zvunka coloque em prática o seu esquema táctico preferido (4x2x3x1). Para sábado, às 17h00, está marcado mais um teste, frente ao Beira-Mar, em Estarreja, estando igualmente previsto um terceiro jogo com a equipa do Sindicato dos Jogadores no dia 21 de Julho (quarta-feira), já na Figueira da Foz. No último dia do mês, será a vez de o Santa Clara, a estagiar em Quiaios, visitar o recinto da Naval. 

Fonte: O Jogo

Naval agenda mais um jogo de preparação

Figueirenses defrontam equipa do sindicato de jogadores a 21 de Julho

A Naval agendou mais um jogo de preparação, para 21 de Julho, desta feita diante da equipa do sindicato de jogadores de futebol. O encontro deverá ter lugar na Figueira da Foz, assim o relvado, que tem estado em tratamento o permita, e ficou marcado paras as 18 horas. Ficaram assim preenchidas todas as datas para os seis encontros particulares que Victor Zvunka pretendia realizar. 
O primeiro jogo particular dos figueirenses acontece já nesta quarta-feira, em Nelas, na despedida do local de estágio, frente à Oliveirense, pelas 17h30. Na sexta-feira, a Naval viaja até Estarreja, para defrontar o Beira Mar, e, depois de defrontar o sindicato, terá lugar a partida de apresentação aos sócios, dia 24, frente ao Al Ittihad de Manuel José. Seguem-se mais dois jogos, na Figueira, com o Santa Clara, dia 31, e outro já em Agosto, dia 7, frente à U. Leiria, na Nazaré.

Zvunka está a impressionar

O treinador da Naval, Victor Zvunka, continua a impressionar os jogadores com os métodos de trabalho que tem aplicado em estágio.

No primeiro dia em Nelas, o treinador francês disse que iria realizar sessões às 7 horas com o objectivo de aumentar a capacidade de sofrimento de cada atleta. E está a consegui-lo positivamente. Que o diga Marinho, extremo que está há três anos na Figueira da Foz.

«Temos um técnico rigoroso, muito organizado. Cada um tem de saber qual a função que lhe compete. Com mais ou menos dificuldade temos de nos adaptar e cumprir», destacou.

Amanhã, último dia de estágio, a Naval defronta a Oliveirense, mas em Nelas, às 17.30 horas. Inicialmente a partida estava marcada para a Figueira, mas as obras de melhoria do relvado do municipal ainda não permitem que o mesmo seja pisado.
 
Fonte: A Bola

Orestes e José Mário à parte


JOGADORES TRABALHAM INDIVUALMENTE
O brasileiro Orestes, por ter integrado o estágio mais tarde que os colegas, e o jovem português José Mário, devido a um pequeno traumatismo, treinaram esta segunda-feira à margem do restante grupo de trabalho.
Nenhum dos casos merece especial preocupação. No caso do jovem defesa direito é possível que venha a integrar o treino da parte da tarde, enquanto Orestes vai continuar a recuperar o tempo perdido, trabalhando individualmente.
A sessão da tarde está marcada para as 17.30, no municipal de Nelas.

Fonte: Record

Plantel navalista testa nova bola


JABULANI FOI ALVO DE ATENÇÕES

No treino da manhã desta segunda-feira, o plantel de Victor Zvunka pôde, finalmente, testar a nova bola.
Depois de apurar a técnica, através de exercícios de passe e receção, os jogadores tiveram a oportunidade de rematar à baliza, onde os três guarda-redes do plantel tentaram perceber os efeitos da bola que foi utilizada no Mundial.
Alguns golos de belo efeito confirmaram a opinião unânime: "vamos ter um campeonato cheio de golos esquisitos".

Fonte: Record

Orestes: «Coração foi mais forte e aqui sinto-me em casa



CENTRAL EXPLICA PORQUE VOLTOU À FIGUEIRA

Aos 29 anos, Orestes está de regresso à Naval. Depois de três anos no campeonato alemão, ao serviço do Hansa Rostock, o jogador regressa a um clube onde foi tratado "com imenso respeito", tal como faz questão de referir.
Para além da Naval, Orestes representou, em Portugal, Belenenses, V. Setúbal, Maia e Santa Clara. Mas foi no clube verde e branco (em 2006/07) que o brasileiro encontrou "uma família". "Foi o melhor grupo que encontrei até hoje", diz Orestes, justificando depois a distinção: "Era uma verdadeira equipa, todos festejávamos as vitórias e sofríamos com as derrotas, aqui sinto-me em casa."
Sobre a experiência no futebol alemão, Orestes não tem dúvidas, "foi importante para dar dimensão à minha carreira". A vontade de voltar era mútua. O brasileiro não se esqueceu da Figueira da Foz - mesmo quando estava na Alemanha manteve casa na cidade - nem a Naval se esqueceu de Orestes, uma vez que foi sempre apontado a reforço. O jogador diz que "podia ter renovado na Alemanha", mas o coração foi mais forte. "Não estou aqui por questões financeiras, nem se compara o que se recebe na Naval e no futebol alemão, mas há coisas mais importantes na vida", finaliza.

Fonte: Record 
 

Zvunka testa Naval


EQUIPA AINDA PRECISA DE TRABALHO

Depois das preocupações com a vertente física da equipa, o técnico francês Victor Zvunka pôde ver hoje em ação os jogadores numa "peladinha". Divididos em dois grupos, as equipas "laranja" e "amarela" lutaram pela vitória, ainda que os índices de entrosamento e discernimento não estejam, tal como se podia esperar, os melhores.
Camora, após um excelente movimento do extremo navalista, e o inesperado George - jogador que se encontra em observação e que entrou para lugar de Daniel Cruz -, foram os autores dos dois golos com que a equipa "amarela", onde constavam os reforços Rogério e Godinho, venceu a equipa contrária.
Ambas as equipas jogaram num sistema de 4x2x3x1, esquema que se prepara para ser o privilegiado pelo técnico Victor Zvunka durante a temporada.
Equipa "laranja" (0): Bruno, José Mário, Real, Gómis, Jonathas, Hugo Machado, Giuliano, João Pedro, Alex, Simplício, Previtali.
Equipa "amarela" (2): Jorge Batista, Carlitos, Lùpede, Rogério, Daniel Cruz (George), Godinho (Manuel Curto), Godemèche, Camora, Davide, Marinho e Bolívia.

Fonte: Record

Orestes integrou plantel


CONTRATO VÁLIDO PARA DUAS TEMPORADAS

Orestes, médio brasileiro que a Naval contratou por duas temporadas, integrou este domingo o plantel e foi apresentado pelo diretor desportivo do clube, Nuno Cardoso. O jogador vinculou-se à Naval por duas temporadas.
"Gostamos sempre de voltar onde fomos bem tratados e com respeito" justificou o jogador aludindo à sua anterior passagem pelo clube na temporada de 2006/2007.
Orestes nos últimos três anos esteve ao serviço do Hansa Rostock (Alemanha): "Foi um bom período o que passei na Alemanha direi que a minha carreira ganhou uma nova dimensão. Entretanto, surgiu a Naval e embora as condições financeiras sejam incomparáveis, o dinheiro não é o mais importante e pude satisfazer a vontade da minha esposa que adora Portugal, nomeadamente a Figueira da Foz" vincou.
O atraso de preparação em relação aos seus companheiros, não preocupa o jogador: "Estou mais atrasado mas cuidei-me bem nas férias, se não houver nada de anormal penso que em pouco tempo me colocarei ao seu nível".
Quanto a objetivos Orestes é perentório: "Coletivamente estou em sintonia com o clube, isto é, os preconizados pela Naval são os meus objetivos. Individualmente espero fazer uma boa época e ter mais êxito do que tive na minha primeira passagem" expressou.
Num outro plano, dirigentes do clube da Figueira da Foz estão à beira de um ataque de nervos face à continuada ausência no Brasil de Fábio Júnior.
O jogador deveria ter-se apresentado no passado dia 28, o clube da Figueira da Foz marcou-lhe já por duas vezes viagem para Portugal mas o jogador primou pela ausência. 

Fonte: Record

Atraso de Fábio Júnior sob alçada disciplinar


BRASILEIRO AINDA NÃO APARECEU NO ESTÁGIO
 
Depois de uma época em que foi notícia pelo que fez no relvado, Fábio Júnior, avançado brasileiro de 27 anos, prepara-se agora para ser notícia por não querer aparecer em campo. Contratado no mês de janeiro, foi o jogador de maior destaque na equipa então treinada por Augusto Inácio. O sucesso dos primeiros meses em Portugal não fazia prever o desfecho que a história está agora a ter: Fábio Júnior ainda não apareceu no estágio de Nelas, não está contactável e não justifica, sequer, o motivo pelo qual ainda não se apresentou no clube com o qual tem contrato.
Depois de uma ligação por seis meses, foram necessários poucos jogos para que os responsáveis navalistas percebessem a qualidade de Fábio Júnior. Assim, pouco tempo depois, outro contrato foi celebrado, até final da temporada 2012/13.
Interessados
Terminada a época - Sp. Braga e Sporting foram apenas dois dos clubes que mostraram vontade em saber mais sobre o brasileiro -, o jogador regressou ao Brasil, onde ainda continua. Era esperado esta semana em Nelas, mas o regresso tem sido adiado, levando a que o técnico Victor Zvunka se mostre agastado com o atraso do avançado. Os responsáveis navalistas não falam sobre o tema, referindo apenas "tratar-se de um assunto interno do clube". Ainda que o jogador mude de ideias e venha a integrar o plantel navalista, o regulamento interno do clube deverá ser acionado e o jogador sujeito a uma multa.
O presidente navalista, Aprígio Santos, prefere esperar pelo desenrolar do processo, acreditando que "problemas familiares estiveram na base do atraso" e que "o jogador deverá chegar a Portugal na próxima segunda ou terça-feira"

Fonte: Record

Manuel Curto inicia período à experiência


MÉDIO EX-ESTORIL

O dia de ontem ficou marcado pela chegada de Manuel Curto ao estágio da equipa, o qual decorre em Nelas.
O médio ex-Estoril, que completou precisamente ontem 24 anos, vai cumprir um período à experiência e tentar convencer a equipa técnica a reforçar o plantel numa posição não prioritária.

Godeméche com fé
Entretanto, Godemèche salientou a qualidade existente no grupo de trabalho navalista apesar das saídas de Peiser, Diego Ângelo e Bruno Lazaroni. "Eram três jogadores importantes, mas a base da equipa ficou e quem veio também tem qualidade", frisou o médio, de 26 anos, o qual ganhou novas funções com a chegada do técnico Victor Zvunka.
"Na temporada passada fazia tradução de português para francês. Agora, é ao contrário", referiu o atleta, bem disposto, acrescentando: "Os novos jogadores estão a adaptar-se bem. Claro que a língua é uma barreira, mas já comunicam com todos os colegas, nem que seja por gestos."
Nos próximos dias ficará definido o lote de elementos que envergarão a braçadeira de capitão. Godemèche é um dos mais bem posicionados, mas isso é algo que não o preocupa. "O mais importante é que nada mude, seja quem for que fique como capitão", sublinhou. 

Fonte: Record 

Regresso ao relvado após dia de relaxamento


NAVAL CONTINUA A TRABALHAR EM NELAS


Se a quinta-feira serviu para relaxar e recuperar do desgaste físico dispendido nos primeiros dias de estágio, esta sexta-feira voltou a exigência física que tem sido habitual nos treinos de Victor Zvunka.
Os jogadores voltaram a sair do hotel às 7 horas, começando o dia a correr. Depois do pequeno-almoço, novo treino, desta vez conciliando corrida com exercícios específicos de força e resistência.
Apesar do esforço dispendido, o grupo continua a mostrar boa disposição. No final do treino, os novos elementos do plantel começaram a ser "praxados". Enquanto os mais "velhos" se levantavam silenciosamente do relvado, alguns, mais distraídos, foram surpreendidos com água. O que vale é que o calor continua a ser presença constante no municipal de Nelas.

Fonte: Record

Manuel Curto chega hoje a Nelas

MÉDIO EX-ESTORIL VAI CUMPRIR TESTE
 
A meio do estágio que a equipa figueirense está a realizar em Nelas, continuam a chegar jogadores para trabalhar às ordens do novo técnico Victor Zvunka.
Se George e João Mendes integraram o plantel desde o início da preparação, para hoje está marcada a chegada de Manuel Curto, mais um jogador que vai iniciar um período de teste na equipa "verde e branca".
Formado no Benfica, o médio natural de Torres Vedras passou por Estrela da Amadora, Torreense, Pinhalnovense, Rio Maior e Estoril, onde na temporada passada alinhou em 20 jogos do campeonato. Internacional Sub17, Manuel Curto foi uma das surpresas do Campeonato da Europa de 2003, onde marcou cinco golos.
Com 24 anos, o jogador procura agora convencer o treinador navalista. Nkake e Kovacevic, dois jogadores com características idênticas às de Manuel Curto, foram na passada semana dispensados, dando a ideia de que o reforço desta posição não será uma prioridade para os responsáveis da equipa figueirense.

Fonte: Record

Davide: «Quero dar o salto»

PROMETE FAZER UMA GRANDE ÉPOCA

Depois de uma época muito abaixo do que pretendia a nível individual, o médio navalista Davide acabou por renovar com a Naval por um ano. Agora, o objetivo é claro: "Fazer uma grande época para dar o salto. Assim poderei mudar para um clube com outros objetivos", esclarece Davide, que acredita que, "se assim for, também será bom para a Naval".


O jogador de 27 anos tem sido um dos líderes do balneário nas últimas temporadas, mas não está obcecado com o estatuto de capitão. "Não preciso da braçadeira para ser líder, sei que tenho o meu espaço no balneário", afirma.

Zvunka como Jesus

O novo treinador navalista Victor Zvunka não tem deixado ninguém indiferente. Davide só encontra comparação com os métodos utilizados por Jorge Jesus, quando estava no E. Amadora. "Zvunka é idêntico a Jesus", refere o médio, justificando depois: "A pré-época é igualmente exigente, com muita corrida e treinos tridiários."

Fonte: Jornal Record

Manuel Curto vai mostrar-se


Médio defensivo que estava no Estoril pode integrar hoje estágio em Nelas.

Manuel Curto, médio defensivo, deve iniciar hoje um período experimental na Naval.

O jovem, campeão da Europa de sub-17, em 2003, está livre depois de ter acabado a ligação com o Estoril, no qual sobressaiu a médio de cobertura, depois de passar vários anos a jogar na frente. É possível que Curto integre hoje a concentração que decorre em Nelas.