Godeméche quer vitória para confirmar que alguma coisa mudou


O médio Godeméche, da Naval 1.º de Maio, garantiu hoje que vencer o Rio Ave, na sétima jornada da Liga Sagres, é o principal objectivo da equipa, até para confirmar que algo está a mudar.

“O bom resultado que alcançámos na Madeira, - vitoria por 2-1 sobre o Marítimo - só terá efeitos se conseguirmos vencer o Rio Ave. Dessa forma confirmaremos que algo está a mudar na equipa”, disse.

Godémeche não espera, porém, facilidades: “O Rio Ave ainda não perdeu e os escassos dois golos sofridos mostram bem a coesão do seu sector defensivo.

É uma equipa muito difícil de bater”.

“Mas, a Naval joga em casa e tem a oportunidade de mostrar que tem valor para discutir e bater o adversário e, ao mesmo tempo, recuperar alguns dos pontos que já deixou fugir”, assegurou.

A equipa está motivada: “As vitórias motivam sempre. Unidade no grupo sempre houve, mas agora estamos a recuperar a confiança. o que nos permite apresentarmo-nos com melhor dinâmica e atitude e mais ambição”, concluiu.

Naval 1.º de Maio e Rio Ave defrontam-se sábado, pelas 17:00, no Estádio Bento Pessoa, na Figueira da Foz, com arbitragem de Luís reforço, de Setúbal.

Fonte: O jogo

Edição Diários As Beiras de 30-09-2009


Vamos ver se é assim realmente, como diz o Tribunal. Aguardaremos o comunicado do Clube.

Michel Simplício reintegrado


O treinador da Naval, Augusto Inácio, orientou ontem dois treinos que visavam a preparação para a recepção ao Rio Ave. Michel Simplício é o destaque, pois realizou o apronto sem limitações.

O avançado brasileiro cumpriu o trabalho sem quaisquer condicionalismos, mas com alguns cuidados, pois envergava o colete laranja.

Ainda nas mãos do departamento médico figueirense está o avançado Bolívia, indicando que o brasileiro não deverá ser opção para o desafio com os vila-condenses.

Sobre o treino em si, Inácio focou a marcação individual, posse de bola e finalização.

Está agendado novo treino para a hoje, pelas 16.00 horas, à porta fechada.

Fonte: ABola

Recuperação com boa disposição


Foi demasiado evidente o estado de espírito dos jogadores navalistas na abordagem do treino deste domingo onde voltou a reinar a boa disposição, fruto da primeira vitória na Liga, na visita ao Marítimo (2-1).

O treinador dos figueirenses, Augusto Inácio, colocou os jogadores utilizados na partida com os insulares a cumprir trabalho de reabilitação enquanto que os restantes trabalharam directamente com o preparador Vítor Bruno numa sessão bem árdua.

Face ao próximo encontro com o Rio Ave, antecipado para sábado, Augusto Inácio já poderá contar com Carlitos - cumpriu castigo - e tudo indica que a disponibilidade de Simplício esteja perto pois o jogador integrou o treino.

Dúvidas subsistem quanto a Bolívia que se lesionou na Madeira e deverá ser reavaliado na terça-feira, dia em que o trabalho será retomado, com duas sessões, já que na próxima segunda-feira o grupo estará de folga.

O plantel da Naval volta ao trabalho na próxima terça-feira com sessões pelas 09.30 e 16.30 horas no Estádio Municipal José Bento Pessoa.

Fonte: ABola

Kerrouche rejeita ser herói

O avançado Kerrouche recusa assumir o papel de herói pelos dois golos marcados nos Barreiros do qual resultou a primeira vitória da Naval no presente campeonato: «Toda a equipa esteve á altura das circunstâncias, fomos solidários e o resultado ficou á vista, foi a primeira vitória da Naval no campeonato e sinceramente espero também a primeira de muitas que queremos e haveremos de conquistar.»

O franco-argelino confidencia que não se sente mais importante por ter marcado ao Marítimo. «Fiz o meu trabalho, felizmente saiu tudo bem. O mais importante para mim não foi ter sido eu a marcar, importante mesmo, foi a conquista dos três pontos que nos permite a aproximação a outras equipas e encarar o futuro com maior confiança», assegurou.

Em termos individuais o avançado navalista diz que nada se alterou. «A equipa tem bons jogadores para a frente de ataque, logo aí a responsabilidade da escolha cabe ao treinador» salientou e concluiu dizendo: «Somos uma equipa, jogue quem jogar, importante é vencer».

Fonte: ABola

Marítimo 1 - Naval 2 ( 6ª jornada)

Filme do Jogo

Nem sempre quem ataca mais ou domina vence e foi o que aconteceu nos Barreiros, neste sábado, com o Marítimo a averbar a terceira derrota consecutiva na Liga frente à Naval. Aumenta o descontentamento sobre Carlos Carvalhal que não vence desde a temporada passada. Já Augusto Inácio renovou o balão de oxigénio da Naval, com mais tempo e confiança para salvar esta equipa da despromoção.

O Marítimo apostou em ganhar e era esta a esperança dos adeptos, até pela mensagem do técnico. Mas a equipa, na primeira parte, pouco ou nada fez nesse sentido, perante uma Naval muito frágil e que se remeteu à defesa, num 3x5x2, espreitando o contra-ataque.

A posse de bola pertenceu, assim, aos locais, mas sem grande eficácia ou perigo para Peiser. Só de longe é que os madeirenses conseguiam criar algum aperto para o guarda-redes dos figueirenses, que foi defendendo os remates de João Guilherme, aos quatro minutos, e Miguelito (32).

E contra a corrente do jogo, os pupilos de Inácio chegaram ao golo aos 39 minutos, num lance de contra-ataque. Godemeche lançou Marinho na esquerda e este cruzou para o segundo poste onde surgiu sozinho Kerrouche a cabecear sem hipótese para Peçanha.

A intranquilidade aumentou nos verde-rubros que estiveram perto da igualdade aos 43 minutos, quando Djalma fez um chapéu a Peiser e viu Daniel Cruz salvar (?) a bola sobre a linha de baliza. Este lance deixou muitas dúvidas aos espectadores e a Vasco Santos que olhou para o seu auxiliar, mas este mandou jogar. Até ao intervalo nada de novo, apenas a falta de imaginação dos pupilos de Carvalhal.


highlights - MyVideo

Baba empata, Kerrouche bisa

Carvalhal mexeu ao intervalo e a equipa tornou-se mais ofensiva. E através de bons cruzamentos de Paulo Jorge, João Luiz, Baba e Robson cabecearam com perigo à baliza de Peiser no espaço de cinco minutos.

A resposta dos homens da Figueira da Foz surgiu aos 58 minutos, com um potente remate de Godemeche que saiu perto do poste da baliza de Peçanha. Os madeirenses conseguiram, finalmente, dar expressão ao seu domínio no minuto seguinte, com Baba a assinar o empate após um bom cruzamento de Djalma.

Marinho, sempre ele, levou o perigo à baliza maritimista aos 62 minutos, desviando bem a bola que acabou por sair ao lado.

A partida animou e viu-se mais futebol. Mas os guarda-redes foram levando a melhor. Paulo Jorge e Djalma estiveram perto de marcar (67 e 69, respectivamente) e a resposta da Naval surgiu de novo por Kerrouche, aos 82 minutos.

Mais uma vez contra a corrente e num lance infeliz, a Naval chegou ao golo. Kerrouche soube aproveitar um bom passe de Ouattara, que ficou em jogo após um passe (corte) de Manu. Balde de água fria para os locais, que não sobreviveram à eficácia contrária.

Destaques da Naval

Kerrouche, super eficaz
Entrou para o lugar do lesionado Bolívia e não podia ter sido mais decisivo. Pouco tempo depois chegou ao golo, num bom cabeceamento. Na segunda parte, «matou» a partida, bisando. Notável eficácia deste atacante que se mostrou oportuno e deu que fazer à defesa local.

Marinho, o irrequieto
Foi seu o cruzamento para o primeiro golo de Kerrouche. Os poucos lances de perigo criados pela Naval tiveram sempre a assinatura do irrequieto Marinho, muito desapoiado na frente, mas sempre em acção e com perigoPeiser, defendeu o que podia
Foi sempre um obstáculo aos avançados do Marítimo. Peiser fez um bom conjunto de defesas e evitou o pior sempre que pôde. Foi batido sem culpas. De resto mostrou sempre muita segurança e atenção.

Peiser, defendeu o que podia
Foi sempre um obstáculo aos avançados do Marítimo. Peiser fez um bom conjunto de defesas e evitou o pior sempre que pôde. Foi batido sem culpas. De resto mostrou sempre muita segurança e atenção.

Reacções:

Inácio admite felicidade

«Pode dizer-se que é um resultado feliz. Temos muitas dificuldades. Montámos uma estratégia que, quando se ganha, diz-se que resulta. É verdade que demos muitos metros ao Marítimo para poder trocar a bola no seu meio-campo. Se jogássemos de peito aberto seria um suicídio e poderíamos ser goleados. Conhecemos bem o Marítimo e o estado que está a atravessar. Na primeira parte, fomos poucas vezes à frente e fomos felizes no golo que marcámos. Nessa altura, o adversário também não criou oportunidades, exceptuando a que Daniel tirou em cima da baliza. Disse aos jogadores que, se mantivéssemos a concentração, poderíamos ser felizes. O Marítimo empatou, mas nós, num contra-ataque rápido, fizemos o segundo golo. Pelo jogo jogado, pelo volume de jogo, pela posse de bola, o Marítimo foi melhor. Mas, em termos de entrega e eficácia, fomos nós os melhores e ganhámos um jogo difícil. Espero que a partir de agora a equipa ganhe mais confiança e jogue melhor».

[Sobre a arbitragem e os protestos no segundo golo da sua equipa]
«Existem sempre casos. Quando me levantei não foi para protestar um fora-de-jogo, pois o jogador não estava em posição irregular. O golo é limpo e era mal anulado se não fosse validado. Foi um jogador do Marítimo que atrasou a bola».

Fonte:

Marítimo-Naval: desesperadamente à procura da vitória (antevisão)

Marítimo e Naval têm de vencer. Mas esta obrigação é-lhes atribuída por motivos diferentes. Os madeirenses actuam em casa, averbaram duas derrotas consecutivas (Sp. Braga e Nacional) e começa a existir alguma contestação em redor de Carlos Carvalhal.
É que os adeptos ainda têm na memória o facto de, na temporada passada, a equipa, já sob o comando deste técnico, só ter vencido uma vez. Esta época o conjunto insular também só somou um triunfo frente ao Leixões e com um autogolo.

Os verde-rubros até começaram bem, «roubando» pontos na Luz, mas continuam a denotar uma tremenda falta de eficácia.
Isso foi bem visível na última partida frente ao Nacional onde, jogando 45 minutos com mais um jogador, acabaram por sair derrotados, depois de terem conseguido chegar à igualdade.
O líder maritimista diz que está tranquilo e acredita que, após esta jornada, o Marítimo estará nos seis primeiros lugares.

Carlos Carvalhal irá proceder a algumas alterações, até porque, pretende um conjunto mais veloz e que exerça maior pressão sobre o adversário. O treinador vai mexer no sector defensivo e deve apostar na dupla de centrais idealizada na pré-época (Robson e João Guilherme), mas que só agora pode utilizar.
É, também, provável que aposte num conjunto mais ofensivo, com Paulo Jorge a lateral-direito e Djalma na direita do ataque. Resta ainda saber se Kléber poderá juntar-se a Baba na frente de ataque ou se Manú regressará ao onze.

Na Figueira da Foz, Augusto Inácio não começou da melhor forma.
O substituto de Ulisses Morais perdeu na estreia. Agora, num campo que bem conhece, pois esteve três anos à frente dos maritimistas, Inácio quer começar a subir na tabela classificativa.

Augusto Inácio não pode contar com Carlitos, que cumpre castigo, e com o lesionado Simplício. O técnico promoveu a estreia de Omar Bellagra, que deve começar no banco.

A Naval tem o pior ataque da Liga (só marcou um golo) e uma das piores defesas (sofreu nove golos, contra 13 do V. Setúbal). Augusto Inácio não terá vida fácil, tendo em conta a história e os actuais números dos seus pupilos.

Equipas prováveis
Marítimo: Peçanha; Paulo Jorge, Robson, João Guilherme e Alonso; Olberdan, Roberto Sousa e Marcinho; Djalma, Manú e Baba.

Naval: Peiser; Zé Mário, Gomis, Diego Angelo e Daniel Cruz; Lazaroni; Godemèche, Davide e Hauw; Bolívia e Marinho.
Fonte: tvi24

Inácio: «Ser forte em todos os momentos»

Inácio disse esta sexta-feira que a Naval "tem de ser forte em todos os momentos, quer no aspecto mental quer no táctico" para ganhar ao Marítimo.

O treinador salienta o facto do adversário vir de duas derrotas consecutivas e querer "aproveitar este jogo para acertar agulhas", disse.

Inácio deixou um aviso ao Marítimo: "Cabe-nos demonstrar que a nossa equipa não é fácil de bater, pelo que é necessário muito rigor táctico, concentração e transições rápidas para a frente".

Fonte: Record

Três novos na lista de Augusto Inácio


Os regressos de Zé Mário, Ouattará e Bellagra constituem as novidades da convocatória da Naval 1.º de Maio para a visita ao Marítimo, na sexta jornada da Liga Sagres.

Em relação à última convocatória (derrota em casa com o Vitória Setúbal por 1-0), saem Carlitos (castigado) e Tiago Rannown, que se juntam a Bruno, Real, NKake, Kovacevic e Michel Simplício, jogadores preteridos por opção técnica.

“Rigor táctico, com rápidas transições defesa/ataque, são vectores importantes na estratégia que trabalhámos para podermos surpreender o nosso adversário”, referiu o treinador Augusto Inácio na antevisão da partida.

De acordo com o técnico, é possível que em termos anímicos as duas formações “não estejam no seu melhor” e que isso “aumente o grau de dificuldade", já que “o Marítimo saiu derrotado nos dois últimos jogos e pensará que a Naval é o adversário ideal para a sua reabilitação”.

Augusto Inácio defendeu ainda que cabe à Naval mostrar o seu valor e demonstrar que é uma equipa “a quem também não vai ser fácil ganhar”.

Quanto ao que espera da equipa, o treinador foi pragmático: “Fortes mentalmente e com grande rigor táctico, sobretudo conciliar o aspecto anímico de modo a não dar-mos a perceber as nossas fragilidades”.

O jogo entre Marítimo, 10.º classificado com cinco pontos e Naval 1.º de Maio, 16.ª e última com apenas um, disputa-se pelas 16:00 de sábado no Estádio dos Barreiros, no Funchal, e será dirigido pelo árbitro Vasco Santos, do Porto.

Lista de convocados:

- Guarda-Redes: Peiser e Jorge Batista.

- Defesas: Lupède, Diego, Daniel Cruz, Gómis, Zé Mário.

- Médios: Lazaroni, Alex Hauw, Baradji, Godeméche e Camora.

- Avançados: Davide, Bolívia, Ouattará, Tandia, Bellagra, Kerrouche e Marinho.

Fonte: Jornal O Jogo

Diego quer vencer o Marítimo para recuperar a confiança

Diego Ângelo, defesa-central da Naval, disse hoje que vencer o Marítimo, sábado, na 6ª jornada da Liga portuguesa, é condição essencial para que a equipa possa começar a recuperar a confiança.

"Quem não ganha não pode estar bem, daí que o grupo tem conversado muito no sentido de nos concentrarmos e apoiarmos para que a partida com o Marítimo possa ser um momento de viragem na situação em que a equipa se encontra", afirmou

Diago frisou que "são as vitórias que motivam" e, por isso, a equipa está consciente de que tem "de abordar esta partida com muita concentração, atitude e combatividade, vectores importantes para poder discutir o resultado".

O treinador Augusto Inácio tem vindo a preparar a estratégia da equipa em regime de porta fechada, porém há duas certezas, as indisponibilidades de Carlitos (castigado) e Michel Simplício (lesionado).

Marítimo e Naval defrontam-se no sábado pelas 16:00 no Estádio dos Barreiros no Funchal, em encontro que será arbitrado por Vasco Santos, do Porto.

Fonte: O Jogo

Figueirenses não acertam com as balizas

A Naval espera repetir o resultado alcançado nos Barreiros na época 2007/08, quando venceu por 1-0 o Marítimo.

Esta é a única vitória arrancada pelos navalistas no Funchal, com o hoje academista João Ribeiro a festejar o golo da vitória.

Cumprida a quinta jornada da Liga, a Naval é última e possui o pior ataque da prova. O único golo averbado pertence a Rolando, do FC Porto.

A finalização foi um dos aspectos trabalhados por Augusto Inácio no treino realizado à porta fechada. O técnico trabalha em segredo o onze e a táctica.

Hoje cumpre o penúltimo treino antes de voar para a Madeira.

Fonte: O Jogo

Rannown ou Zé Mário para o corredor direito


Por Rogério Neves

A Naval prossegue a preparação para a partida com o Marítimo, com Augusto Inácio a procurar, à porta fechada, por quem irá ocupar o corredor direito.

Tiago Rannown e Zé Mário serão as eventuais alternativas, contudo, Augusto Inácio que procura mudar algumas coisas, pode ter outras soluções em carteira. Certo é que Carlitos (castigado) e Simplício (lesionado) estão fora das opções.

O plantel voltará a trabalhar na manhã desta sexta-feira, pelas 9 horas, com partida logo a seguir rumo a Lisboa, onde pelas 15.15 voará para a Madeira, de onde regressarão logo após o jogo com o Marítimo, no sábado.

Fonte: A bola

Simplício ainda de fora


PREPARAÇÃO DO JOGO COM O MARÍTIMO.

Os figueirenses preparam-se para a deslocação ao Funchal onde, sábado, pelas 16:00, vão defrontar o Marítimo, que ocupa a 10.ª posição com cinco pontos, mais quatro do que os navalistas.

A situação na tabela (Naval é última classificada) continua a ser uma preocupação para os responsáveis, mas Augusto Inácio que vai na sua segunda semana ao serviço do clube, está a promover (e fora dos olhares indiscretos) uma preparação acelerada, para que a equipa dê a volta por cima.

Não deverá haver grandes alterações na formação que vai iniciar o jogo nos Barreiros, sabendo-se, contudo, que Carlitos está de fora por castigo e Michel Simplício, que continua a fazer fazer treino condicionado, não deverá estar apto.

Para amanhã (9 horas) está marcado para o Bento Pessoa, o último apronto antes da viagem até ao Funchal.

Fonte: Jornal Record

Inácio esconde táctica para jogo com o Marítimo


Augusto Inácio, técnico da Naval, fechou as portas do treino para preparar o próximo compromisso da equipa, que sábado tem a difícil deslocação ao reduto do Marítimo.

A derrota na estreia do novo técnico, frente ao V. Setúbal (0-1, em casa) é passado e Augusto Inácio está agora centrado no próximo desafio.

Ausentes deste desafio da 6.ª jornada da Liga, estão Carlitos que cumpre castigo e Simplício que esta manhã fez treino condicionado no sentido de recuperar de uma lesão muscular.

Fonte: ABola

Vítor Bruno completa equipa técnica de Augusto Inácio

Vítor Bruno é o novo preparador físico da Naval 1.º de Maio iniciando hoje funções, disse à Agência Lusa o director desportivo do clube da Liga portuguesa de futebol, Nuno Cardoso.

Vítor Bruno completa, assim, a equipa técnica do clube da Figueira da Foz, liderada por Augusto Inácio e constituída ainda por Fernando Mira, treinador adjunto, e João Costeado, treinador de guarda-redes.

Vítor Bruno terminou recentemente uma ligação ao clube angolano 1.º de Agosto, integrando a equipa técnica liderada pelo treinador conimbricense Vítor Manuel.

A formação navalista iniciou hoje a preparação para o encontro da sexta jornada da Liga, sábado, no Funchal, frente ao Marítimo.

Fonte: O Jogo

Naval: Gilmar pede a rescisão e termina carreira


Ex-capitão da Naval vai regressar ao Brasil

O médio Gilmar pediu a rescisão, alegando justa causa, do contrato que o ligava à Naval por mais época, apurou o Maisfutebol junto de fonte próxima do jogador. O pedido foi remetido na passada terça-feira para as entidades necessárias neste tipo de situação, isto é, Liga, Federação, Sindicato dos Jogadores e o próprio clube.

Ao mesmo tempo, o ex-capitão dos figueirenses, quase a completar 36 anos, colocou um final (forçado) na carreira e prepara-se para regressar ao Brasil, depois de quatro épocas ao serviço da Naval.

O caso remonta ao início de Julho, quando o jogador, ao chegar de férias para se apresentar na data estipulada para o arranque dos trabalhos, foi confrontado com um processo disciplinar. Os motivos do procedimento nunca foram publicamente revelados mas seguiram-se os trâmites legais, com a elaboração de uma nota de culpa e a defesa do atleta.

O mercado de transferências encerrou, sem que Gilmar tenha sido inscrito pela Naval ou transferido para outro clube, e, na impossibilidade de um acordo entre as partes, o caso segue agora por via litigiosa.

Taça de Portugal = Naval recebe Padroense


A Naval vai receber o Padroense Futebol Clube na próxima eliminatória da Taça de Portugal, cujos jogos estão agendados para 17 e 18 de Outubro.

O sorteio ditou a deslocação do clube nortenho à Figueira da Foz.

O Padroense Futebol Clube é um clube sediado no Padrão da Légua no concelho de Matosinhos que no início desta temporada festejou a sua ascensão à II Divisão Nacional.

Para quem quiser melhor conhecer a realidade do Padroense, click aqui

Naval 0 - 1 Vitória de Setúbal ( 5ª Jornada)

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio Municipal José Bento Pessoa, na Figueira da Foz.

Naval - Vitória de Setúbal, 0-1

Intervalo: 0-1

Marcadores:

0-1, Kasmierczak, 27

Equipas:

- Naval: Peiser, Carlitos, Gómis, Diego, Daniel Cruz, Lazaroni (Tandia 69), Davide (Kerrouche 45), Godemèche, Alex Hauw, Marinho e Bolívia (Camora 75)

(Suplentes: Jorge Batista, Tiago Rannown, Lupède, Baradji, Tandia, Gómis, Kerrouche e Camora)

- Vitória Setúbal: Nuno Santos, Alan (Rui Fonte 68), Zoro, André Pinto, Ruben Lima, Djikiné, Álvaro Fernandez (Joãozinho 58), Kazmierczak, Luís Carlos, Hélder Barbosa (Bruno Monteiro 80) e Keita.

(Suplentes: Mário Felgueiras, Regula, Lourenço, Zarabi, Bruno Monteiro, Rui Fonte e Joãozinho)


Árbitro: Marco Ferreira, Madeira.

Acção disciplinar: cartão amarelo para Zoro (36), Carlitos (42, 51), Daniel Cruz (45), Alan (47), Hélder Barbosa (59), Peiser (82), Godemèche (84). Cartão vermelho, por acumulação, para Carlitos (51)

Assistência: 1043 Espectadores.



A Figueira da Foz é chão sagrado para o V. Setúbal. Em tempos de crise, nada melhor do que uma visita ao terreno da Naval. Os sadinos aprenderam ali a ser felizes. Foi no Estádio José Bento Pessoa que garantiram num passado recente uma subida e duas manutenções dramáticas; foi ali, este domingo, que venceram pela primeira vez na Liga 2009/10.

Venceram sem saber muito bem como, é verdade. Venceram com um golo, um grande golo, apontado por Kazmierczak na marcação de um livre directo. O polaco, que se arrasta numa deplorável condição física, desequilibrou este pobre jogo a favor dos sadinos. Do resto, encarregaram-se Carlitos - expulso de forma indesculpável aos 54 minutos e os seus desinspirados companheiros.

Ao Vitória fez bem esta visita à sua Meca futebolística. Numa espécie de retiro espiritual, recuperou a alma e o equilíbrio emocional. A depressão, agudizada pelos acontecimentos das últimas semanas, não estará plenamente curada, mas este triunfo é claramente um primeiro passo rumo à reabilitação.

Tudo espremido dá quase nada


Numa partida anacrónica, distante dos níveis mínimos que uma competição profissional exige, o Vitória marcou o único golo no primeiro remate que fez. O marcador apontava para os 27 minutos. Até aí, apenas a Naval se preocupara com aquele pormenor que tempera o futebol: o ataque.

Bolívia ameaçara duas vezes de cabeça, Marinho num remate tímido. Tudo muito fraquinho, a apelar à tolerância e a uma paciência de Jó. O Vitória, limitadíssimo, lá marcou no tal pontapé fabuloso de Kaz e até poderia ter ampliado antes do intervalo, se o árbitro tivesse marcado grande penalidade num lance individual de Alan.

Na segunda parte ainda há menos para contar. Os anseios de Naval ficaram seriamente comprometidos com a expulsão de Carlitos e a partir daí o Vitória geriu com facilidade a vantagem. Em contra-ataque ainda atirou uma bola ao poste, num remate de Keita, e só se assustou quando Tandia surgiu em boa posição mas rematou ao lado.

Enfim, tudo espremido, fica o sublinhado da tal reabilitação psicológica do Vitória, numa cidade onde se habituou a ser feliz. Custa é saber que estas duas equipas estão no primeiro escalão nacional. Mas esta pobreza só pode surpreender os mais incautos.

A Naval acredita que é no terceiro e no quarto escalões franceses que pode encontrar o seu Santo Graal. O Vitória, lamentavelmente, teve uma pré-temporada ao nível de um qualquer clube regional. O resultado é este: deprimente.

Destaques da Naval

Marinho
Lutou muito é certo, mas, por vezes, só isso não chega. Tentou o remate de longe, tentou entrar em força por entre os defensores contrários, sofreu várias faltas, fez muitas faltas¿ Resumindo, esteve muito em jogo, mas as coisas quase nunca lhe saíram bem.

Carlitos
Uma atitude infantil colocou em cheque a possível recuperação da Naval. Quando já tinha um amarelo, cortou deliberadamente a bola com a mão num lance completamente inofensivo. Viu o segundo cartão e foi mais cedo para os balneários. Assim não há equipa que resista.

Reacções


Daniel Cruz (Naval): «Temos de vencer urgentemente»

Daniel Cruz, defesa da Naval, regressou à competição depois de ter sido afastado por Ulisses Morais das primeiras escolhas. O brasileiro parece ser uma aposta forte de Augusto Inácio e falou à comunicação social após a derrota diante do V. Setúbal.

«Temos de vencer urgentemente. Se isso não acontecer as coisas complicam. O Inácio está a motivar-nos muito. Ele suga tudo dos jogadores e estou certo que vamos todos aprender muito com ele. Está a ser muito proveitoso. Hoje falhámos na finalização e numa competição profissional isso não pode suceder. A expulsão do Carlitos também dificultou a nossa vida. São coisas que sucedem.»

Inácio viu jogadores incansáveis


«Não era o resultado que esperava. É um resultado decepcionante para o que tínhamos em mente. Mas há uma coisa que me marcou: mesmo não jogando bem, os meus jogadores entregaram-se bastante. Deram o que tinham e o que não tinham para que a sorte do jogo mudasse. Não fomos felizes e o Setúbal marcou no único remate que fez na primeira parte.».

«Não interessa se o resultado é justo ou injusto, mas é verdade que os jogadores ficaram abatidos com o resultado. Mas com a determinação e vontade de trabalhar que os jogadores mostraram, as coisas poderão melhorar no futuro. Mas que estão complicadas, isso estão».

«Esta equipa precisa trabalhar tudo. Precisa de trabalhar questões tácticas , mas não há jogador que responda bem tacticamente se não estiver bem fisicamente. Precisamos aumentar os índices físicos para que a dinâmica de jogo possa ser diferente. Temos muito trabalho pela frente e é isso que vamos tentar fazer».

Fonte: tvi24 & O Jogo

Inácio: «Não podemos dar oportunidades ao nosso opositor»


A Naval, na estreia de Augusto Inácio como treinador principal da equipa, parte para este confronto com o Vitória de Setúbal em busca do primeiro triunfo na Liga. Os sadinos poderão ser os adversários ideais para a recuperação dos figueirenses, mas Inácio não quer facilidades.

"Não podemos dar oportunidades ao nosso opositor para levantar a cabeça connosco, apesar do respeito que me merece e que vem fazer das tripas coração para também obter o seu primeiro resultado positivo", avisa o novo técnico.

Após uma semana de trabalho, que o treinador considera ter sido pouco tempo, salienta que "a preparação foi agradável, os jogadores têm mostrado entrega e empenhamento, e espero que tudo o que se fez tenha sido bem apreendido para que as coisas saiam como pretendemos", acrescentando:

"este jogo pode ser determinante para avaliar se, na verdade, os jogadores captaram a mensagem que lhes foi transmitida."

E a concluir, expôs as suas pretensões: "Quero uma equipa de grande entrega e entreajuda para poder ultrapassar as dificuldades que o jogo nos pode trazer. Estou esperançado."

Michel Simplício não recuperou e é uma ausência importante na formação navalista.

Fonte: Record

Lista de Convocados para o jogo com o Vitória de Setúbal


Guarda-redes: Peiser e Jorge Baptista

Defesas: Carlitos, Gomis, Diego Ângelo, Camora, Daniel Cruz, Tiago Rannow e Lupède

Médios: Bruno Lazaroni, Godemèche, Alex Hauw, Baradji

Avançados: Davide, Marinho, Tandia, Kerrouche e Bolívia.

Estratégia preparada à porta fechada


TUDO PARA REGRESSAR AOS TRIUNFOS CINCO MESES DEPOIS

Augusto Inácio não quer facilitar e, pela segunda vez, fechou a porta no treino que decorreu em Quiaios.

Exercícios de ordem táctica, estratégia e ensaio de lances de bola parada preencheram a sessão matinal, tudo na expectativa de, finalmente, obtermos a primeira vitória na Liga, triunfo que foge desde a jornada 25 da época anterior quando, em 20 de Abril, vencemos o Leixões por 1-0, no Bento Pessoa, com golo de Paulão logo aos 25 minutos.

Volvidos cinco meses, há que regressar às vitórias, para fugir da posição incómoda em que nos encontramos na tabela.

Michel Simplício é, definitivamente, carta fora do baralho, já que, segundo o boletim clínico, sofre de uma lesão muscular na coxa esquerda.

Fonte: Record

Simplício deverá ser baixa

TARDA EM RECUPERAR DA LESÃO SOFRIDA FRENTE AO V. GUIMARÃES

O avançado brasileiro Michel Simplício, de 23 anos, na Naval desde a época transata e com contrato até 2011, continua afastado dos treinos por lesão contraída no jogo com o Vitória de Guimarães e dificilmente Augusto Inácio poderá contar com ele para o jogo com os sadinos no próximo domingo, em casa, às 17 horas.

Para ontem estavam marcadas duas sessões de trabalho no Estádio Bento Pessoa, mas o treino da tarde foi cancelado.

O plantel voltou ao relvado hoje, pelas 9:30, para mais uma sessão preparatória que decorreu em Quiaios, à porta fechada.

Fonte: Record

«Augusto Inácio merece o maior respeito»

ORGULHOSO POR SER TREINADO POR INÁCIO

Davide, avançado da Naval, garantiu hoje que a equipa está a reagir bem às mudanças operadas por Augusto Inácio, e que o plantal sente orgulho em ser dirigido por um técnico campeão nacional de futebol.«Estamos a reagir bem e a encarar os novos métodos de trabalho impostos por Augusto Inácio, um treinador cujo nome nos merece maior respeito e que nos orgulha em estar connosco», referiu o jogador português.

A turma figueirense tem como principal objectivo «vencer o Vitória de Setúbal na próxima jornada», assegura o avançado, que ainda revela a mentalidade com que a equipa está: «Estamos a iniciar um novo ciclo e queremos fazê-lo a vencer».

«Agora trabalhamos para não repetir erros passados e tentar ser mais perfeitos colectivamente», afirmou Davide, que não se mostrou minimamente inquietado com o momento difícil que a formação sadina atravessa: «É um problema do adversário. Têm de tentar resolvê-lo, para preocupações bastam-nos as nossas.»

Fonte: A Bola; Record

Onze para Setúbal delineado

AUGUSTO INÁCIO JÁ TEM ESQUEMA ELABORADO


Augusto Inácio já tem delineada a formação que vai defrontar o Vitória de Setúbal, na 5.ª jornada da Liga Sagres, e a formação não andará muito longe da utilizada em jogos anteriores, como pôde divisar-se no treino desta tarde no Bento Pessoa, em que, a meio campo, decorreu um "conjunto" de 11 contra 11, sem guarda-redes.

Movimentações rápidas e circulação de bola foram a preocupação do técnico, enquanto João Costeado treinava, à parte, os três guardiões, Peiser, Jorge Baptista e Bruno.

Para já, Inácio tem à sua disposição todo o plantel, excepção para Michel Simplício, que ainda não recuperou da lesão sofrida no jogo com o Vitória de Guimarães e que deverá estar fora das contas para a recepção aos sadinos.

Para amanhã estão marcadas duas sessões no Municipal figueirense.

Fonte: Record

«Equipa não perdeu qualidade» - Bolívia


O avançado brasileiro Bolívia garante que a Naval vai saber reagir ao momento delicado que atravessa, motivado pela saída de Ulisses Morais e os maus resultados, e diz que a chegada de Augusto Inácio representa o início de «um novo ciclo» na Figueira da Foz.

«Estamos diante de um novo ciclo. A equipa tinha qualidade na última época, não a perdeu para esta. Há apenas que trabalhar mais forte para sair desta posição um pouco incómoda na classificação», diz Bolívia.

Simplício é o único jogador entregue aos cuidados do departamento médico, que deve divulgar amanhã a origem da lesão do jogador.

Entretanto, Inácio voltou a orientar uma sessão que privilegiou a vertente táctica, promovendo um jogo de onze contra onze em meio campo.

A equipa retoma os trabalhos esta quinta-feira, com sessões às 9.30 e 16 horas, ambas à porta aberta, no Estádio José Bento Pessoa.

Fonte: A Bola

Inácio fecha as portas do treino


Augusto Inácio prepara a recepção ao V. Setúbal a todo o gás, pois já não falta muito tempo para o jogo, agendado para o próximo domingo. O novo técnico trouxe também novos hábitos e, depois de ter realizado uma sessão aberta na manhã desta terça-feira no Estádio José Bento Pessoa, levou a equipa para a calma de Quiaios durante a tarde, num treino à porta fechada.

Ao contrário do antecessor, e de outros treinadores que passaram pela Figueira, Inácio prefere trabalhar longe de olhares indiscretos e vai repetir a dose na sexta-feira, antevéspera da partida, numa sessão agendada para as 9h30, também em Quiaios.

Michel Simplício é, de momento, o único caso clínico da equipa, devido ao traumatismo sofrido no jogo com o V. Guimarães.
Fonte: tvi24

Presidente Confiante : "Eu sou Naval, só penso Naval..."


Aprígio Santos desejou sorte a Inácio, afirmando, “prometi que lhe disponibilizaria tudo quanto precisasse e estivesse ao meu alcance” salientou.

“Eu sou Naval, só penso Naval pelo que a minha obrigação é fazer tudo o que estiver ao meu alcance para que haja sucesso” garantiu o presidente da Naval.

Antes de terminar o presidente da Naval deixou mensagem pública para destinatário não revelado mas que se adivinha destinado aos dirigentes do Trofense:

“Quero afirmar publicamente que a Naval não deve nada a ninguém, nomeadamente a jogadores, que cá estão ou já cá passaram ou a instituições”. “Quem quiser ganhar campeonatos ou subidas que o faça dentro das quatro linhas, não utilize esquemas difamatórios ou intoxicações da opinião pública” expressou.

Fonte: MarchadoVapor

Blog dedicado à Naval editado desde Queluz


Hoje ao fazer o meu "zaping" pela blogosfera do Marcah do Vapor, descobri que existe um Blog dedicado à Naval 1º de Maio que nasceu em Queluz e o seu autor é Hugo Afonso.


Visto tratar-se de um Blog com informação desportiva da centenária colectividade figueirense, aqui deixo o seu link, http://associacaonaval1demaio.blogspot.com/ e a partir de agora passará a constar da Montra dos Blogs O Navalista

Objectivo: ganhar jogos e pontos

Augusto Inácio foi esta segunda-feira apresentado como novo treinador da Naval, após a demissão de Ulisses Morais.

O novo treinador fez-se acompanhar de alguns membros da nova equipa técnica. João Costido, treinador de guarda-redes, e Fernando Mira, treinador adjunto.

A equipa técnica poderá ficar concluída quinta-feira, com a contratação de um preparador físico. Inácio tem preferência pela contratação de Jorge Ramiro, que está ligado ao Inter de Luanda.

Sobre o novo cargo na Naval, afirma: «Este convite honrou-me e aconteceu num bom momento e por diversas razões, até particulares, que me levaram a aceitar este compromisso», diz Inácio, que pretendia regressar ao futebol nacional.

«O objectivo é claro: ganhar jogos e pontos. Pois só desta forma é que se poderá garantir o trajecto que a Naval começou há alguns anos e que quer continuar», defendeu.

Também o presidente do clube, Aprígio Santos, mostrou grande satisfação por ter chegado a acordo com Augusto Inácio.

«Acredito nesta contratação. Estou convicto de que ainda estamos a tempo de fazer um bom campeonato», vaticinou.

Fonte: A Bola

Primeiro dia de Inácio

Augusto Inácio assume hoje o leme de uma nau que nas primeiras quatro jornadas da Liga ainda não venceu, nem marcou qualquer golo.

Sem tempo a perder, o novo técnico, além de ter de preparar o jogo com o V. Setúbal, terá de partir para uma avaliação rápida de valores, a nível colectivo e individual, bem como trabalhar psicologicamente o grupo no sentido de lhe devolver quanto a confiança perdida.

Além de Fernando Mira, João Costeado deve integrar a equipa técnica e Jorge Ramiro, de momento a trabalhar em Angola, pode eventualmente completar a equipa.

Fonte: A Bola

Inácio: «Clube claramente de primeira liga»


COMEÇA AMANHÃ A TRABALHAR NA FIGUEIRA DA FOZ

Aprígio Santos não gosta de perder tempo. Depois de ter afastado Ulisses Morais e de ter entregado a equipa durante uma semana ao eterno adjunto Fernando Mira, o presidente apareceu ontem no estádio com Augusto Inácio, que será o novo líder do balneário.

O treinador está entusiasmado com o seu futuro imediato: "Infelizmente, as coisas não estavam a correr bem. O meu trabalho será ajudar a Naval a regressar a um patamar de estabilidade a que tem habituado os seus adeptos nos últimos anos." Inácio não menospreza o facto de trabalhar num emblema desta dimensão: "Para mim, não é nenhum problema. Éum clube honrado e claramente de primeira liga. Estou pronto a começar".

Inácio estava livre depois de há algumas semanas ter deixado o comando dos angolanos do Interclube. Foi convidado após a derrota da Naval em Guimarães por 3-0 e ontem esteve já na Figueira da Foz a conhecer as instalações do clube e a ser apresentado aos jogadores. O seu primeiro treino está agendado para amanhã à tarde.

O treinador já não trabalhava em Portugal desde 2006/07 quando orientou o Beira-Mar. Além do seu vasto currículo enquanto jogador, destacou-se como treinador por ter sido campeão nacional pelo Sporting, em 1999/2000.

Fonte: Record

Ultima Hora: Augusto Inácio Treinador da Naval 1º de Maio


O treinador Augusto Inácio é o novo treinador da Naval sucedendo a Ulisses Morais no comando técnico da equipa.

Augusto Inácio até há pouco tempo treinou o Interclube de Luanda, já esteve na manhã de hoje a conhecer as instalações e a realidade do clube da Figueira da Foz, tendo sido apresentado aos jogadores no final do treino pós jogo de Guimarães.

Augusto Inácio, que conta no seu currículo com o título de campeão nacional, em 1999/2000, pelo Sporting, vai assinar contrato até final da temporada e quanto á constituição da equipa técnica a única certeza é a continuidade de Fernando Mira o adjunto que está ao serviço do clube figueirenses nos últimos 16 anos.

Augusto Inácio inicia funções na próxima segunda-feira com treino agendado para as 16:30 no Municipal Bento Pessoa.Em sentido inverso estão Marco Leite (preparador físico) e Neca Gomes (treinador dos guarda-redes), que faziam parte da equipa técnica de Ulisses Morais.

Os dois técnicos foram hoje dispensados pelo presidente da Naval Aprígio santos que lhes comunicou a sua não continuidade ao serviço do clube da Figueira da Foz.

Diego Ângelo: «Temos de ser homens e honrar a camisola»


CENTRAL CULPA TODO O GRUPO E LAMENTA SAÍDA DE ULISSES

A Naval 1.º de Maio continua sem ganhar nesta edição da Liga Sagres e nem a "chicotada psicológica" ocorrida no início da semana ajudou os figueirenses a sair de Guimarães com um bom resultado.

No final do encontro, Diego Ângelo era o espelho da desilusão depois da pesada derrota por 3-0, deixando no ar algumas críticas a todo o plantel. "Estamos a ser muito imaturos. Não só não sabemos aproveitar os nossos pontos fortes como ainda deixamos o adversário jogar", atirou o defesa-central.

"Temos de ser homens e saber honrar esta camisola. Porque homem que é homem honra os seus compromissos", considerou o brasileiro, adiantando que a culpa tem de ser repartida entre todo o grupo de trabalho: "Não são só um ou dois companheiros que estão a falhar. Todos temos estado mal."

Quanto à saída precoce de Ulisses Morais, substituído interinamente por Fernando Mira, Diego Ângelo considera que o grupo poderá ter saído prejudicado pela mudança: "Essa situação afetou-nos porque é sempre mau quando vemos sair um treinador. Agora, só espero que o próximo que vier nos possa ajudar a reerguer o grupo."

Fonte: Record

3 V. Guimarães - Naval 0


Sob arbitragem de João Capela, as equipas alinharam:

V. GUIMARÃES: Nilson; Alex, Sereno, Lazzaretti e Andrezinho; Flávio Meireles; Jorge Gonçalves (Carlitos, 83), Desmarets e Targino; Roberto (Marquinho, 78) e Douglas (Rui Miguel, 66). SUPLENTES: Serginho, Moreno, Milhazes, Custódio, Carlitos, Rui Miguel e Marquinho

NAVAL: Peiser; Tiago, Diego, Gomis e José Mário (Baradji, 62); Lazaroni, Godemeche e Bolívia; Marinho, Michel Simplício (Alex, 26) e Kerrouche (Tandia, 70).
SUPLENTES: Jorge Baptista, Lupede, Davide, Alex, Baradji, Tareda e Camora.

Marcador: 1-0 por Roberto (25); 2-0 por Lazzaretti (51); 3-0 por Flávio Meireles (86)

Disciplina: cartão amarelo a Roberto (29), Diego Ângelo (29), Gomis (39)

Fonte: A Bola

Jogo em Direto


A todos os Navalistas e Simpatizantes do Futebol aqui seguem os links para vero jogo na internet.




Abraço do ONavalista

Baradji em estreia para Guimarães

Sekou Baradji é a grande novidade dos convocados da Naval para o jogo desta noite, em Guimarães, a contar para a quarta jornada da Liga.

O médio francês estreia-se, desta forma, nas convocatórias da Naval esta época, no lugar de Ouattara, um dos indiscutíveis de Ulisses Morais que Fernando Mira resolveu, no entanto, deixar de fora.

Além dessa alteração, o técnico interino da Naval voltou a chamar, como se esperava, o guarda-rede titular, Peiser, que ficou a descansar para a Taça da Liga. Como a lista foi alargada a 19 jogadores, Tiago Rannow também regressou aos eleitos.

Por conseguinte, ficaram ainda de fora por opção Bruno, João Real, Daniel Cruz, NKake e Bellagra, enquanto Kovacevic continua a recuperar de lesão.

Lista de convocados

Guarda-redes: Peiser e Jorge Batista;

Defesas: Carlitos, Tiago Rannow, Gomis, Lupède, Diego Ângelo, Zé Mário e Camora;

Médios: Bruno Lazaroni, Baradji, Godemèche, Alex Hauw e Davide;

Avançados: Tandia, Kerrouche, Michel Simplício, Bolívia e Marinho

Fonte: Maisfutebol

Há procura da primeira vitória em Guimarães


O treinador da Naval, Fernando Mira, que esta semana sucedeu a Ulisses Morais no comando técnico, afirmou hoje que vencer o Vitória Guimarães é o principal objectivo da equipa na quarta jornada da Liga portuguesa de futebol.

“Ambas as formações procuram a sua primeira vitória, o que, desde logo, perspectiva uma partida de grau de dificuldade elevado para as duas equipas”, disse o novo técnico do conjunto da Figueira da Foz.

Fernando Mira não espera, porém, facilidades: “O nosso adversário é uma equipa forte, bem orientado e tem um plantel muito experiente, pelo que, espero uma partida disputada com muita intensidade, por duas equipas a lutar pelos três pontos”.

“Com todo o respeito que o adversário nos merece, não alteramos os nossos objectivos, pelo que vamos a Guimarães com o objectivo de vencer e conquistar a nossa primeira vitória”, expressou.

Sobre as mudanças operadas no grupo, Mira é peremptório: “Levámos um soco mas não ficamos ‘KO’. O grupo está a crescer, vamo-nos libertar e com toda a nossa unidade vamos dar a volta à situação”.

A Naval 1.º de Maio só divulgará os convocados após o treino de sexta-feira, mas as opções de Fernando Mira são vastas, já que apenas Bellagra e Kovacevic estão impedidos fisicamente.

O jogo entre a Vitória de Guimarães e a Naval realiza-se sexta-feira, pelas 20:15 horas, no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, e será dirigido pelo lisboeta João Capela.

Fonte: MarchadoVapor

«Levámos um soco mas não ficámos KO» – Fernando Mira


O treinador interino da Naval considera que a saída de Ulisses Morais foi como um «soco» que atingiu a equipa, mas que não a deixou KO. Fernando Mira espera uma resposta positiva em Guimarães.

Questionado sobre as eventuais consequências da ‘chicotada psicológica’ no grupo de trabalho, Mira foi peremptório: «Foi como se tivéssemos levado um soco, mas não ficámos KO».

O técnico quer ver a Naval «fazer um grande jogo» no D. Afonso Henriques. «Espero que a equipa se liberte, que seja unida e faça os golos suficientes para ganhar», juntou, não deixando de elogiar o adversário: «O V. Guimarães é um adversário muito forte, muito bem orientado e com um plantel muito experiente».

Por isso, Fernando Mira antevê um jogo «intensamente disputado», entre duas equipas à procura da primeira vitória na Liga.

A Naval cumpre sexta-feira o último treino antes de viajar para o Minho. No final da sessão, será divulgada a lista de convocados.

Fonte: A Bola

Ajuda...


A todos os Navalistas que visitam este blog....

Gostaria de pedir a todos os que visitam este Blog tão dedicado á Naval 1º de Maio, no sentido de tentar perante todos vós, obter uma foto do plantel da época 2009/2010.

Têm sido difícil entrar em contacto com dirigentes do clube para tal obtenção.

Aqueles que tiverem conhecimentos e se disponibilizassem a oferecer essa imagem ao blog seria de muita ajuda.

O Objectivo dela é criar novo cabeçalho do Blog podendo assim actualizar a imagem com os jogadores correctos à época.

Ficarei a aguardar a vossa ajuda.

ONavalista

Ulisses Morais afastado do comando técnico da Naval 1º de Maio


Ulisses Morais foi afastado do comando técnico da Naval 1.º de Maio em virtude dos maus resultados neste início de época futebolística, revelou hoje à Agência Lusa o presidente dos figueirenses, Aprígio Santos.

“Por muito que me custe, a Naval está acima de tudo. Tinha que ser feita qualquer coisa, porque a Naval há muito que não ganha", confessou à Agência Lusa o presidente da Naval, um dia após o empate caseiro com o “secundário” Santa Clara (1-1), na estreia na segunda fase da Taça da Liga.

Segundo o dirigente, o comando técnico da equipa da Figueira da Foz, que somou apenas um ponto nos três primeiros jogos da Liga, ficará entregue interinamente a Fernando Mira.

O único ponto da Naval no campeonato foi obtido na recepção ao recém-promovido Olhanense (0-0), com as duas derrotas a serem sofridas diante o FC Porto (1-3 na Figueira da Foz) e o Belenenses (2-0 no Restelo).

Fonte: MarchadoVapor

Baradji ainda não chegou


Por Rogério Neves

O médio francês Baradji ainda não regressou dos testes que foi fazer na Inglaterra.

O atleta deverá chegar na quinta-feira e integrar o plantel da Naval.

Perante o facto de nenhum clube britânico ter inscrito o médio francês, o futuro de Baradji deverá continuar a ser a Naval.

Naval empata com Beira-Mar


Por Rogério Neves

A Naval prosseguiu a preparação para o jogo diante o Santa Clara, para a Taça da Liga, e empatou no particular, desta quarta-feira, frente ao Beira-Mar (2-2), que foi realizada no Complexo Desportivo da Tocha.

Depois de uma primeira parte sem golos, a Naval, que testou duas equipas em cada uma das partes, ganhou vantagem por Tandia, que marcou aos 47 e 62.

A reacção aveirense chegou perto do fim, com Fary, aos 78 minutos, na recarga a uma grande penalidade a reduzir, e Artur, um minutos depois, a restabelecer o resultado final.

Naval não prescinde dos Direitos de Promoção sobre João Ribeiro


Por Rogério Neves

A Naval 1.º de Maio assumiu que irá fazer valer os «Direitos de Promoção» referentes a João Ribeiro, mas não irá nunca contestar a transferência do jogador para a Académica, informa o jurista do clube, Nuno Mateus.

«O João Ribeiro pode continuar a carreira onde desejar. Mas a Naval não prescindirá dos Direitos de Promoção que a lei confere», declarou o advogado.

Para explicar o processo Nuno Mateus refeiru que «foi enviada a João Ribeiro, em devida altura, uma proposta de renovação de contrato», da qual o emblema da Figueira da Foz «nunca obteve qualquer resposta por parte do jogador», por isso, «o processo foi enviado à Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) para constar da Lista de Compensações».

«Recentemente, a LPFP contactou-nos, questionando-nos se entendíamos haver algo que pudesse impedir o envio do certificado internacional do jogador para um clube do Chipre, que o tinha solicitado.

Respondemos não haver da nossa parte qualquer impedimento, mas chamámos a atenção para o facto de o nome do jogador constar na Lista de Compensações e não iríamos prescindir dos direitos inerentes».

Assim, há a realçar que os figueirenses não querem interferir no processo de transferência de João Ribeiro, que se transferiu do Frenaros FC para a Académica.

«O processo de transferência não nos diz nada», destacou o jurista, que apenas quer ver «a Naval ressarcida em 300 mil euros».

«Valor aprovado e inserido na Lista de Compensações», rematou.Nuno Mateus salienta ainda que está apenas a salvaguardar os interesses do seu clube, de acordo com o conteúdo do artigo 41 do Capitulo III do Contrato Colectivo de Trabalho dos Jogadores Profissionais de Futebol, que «define perfeita e claramente intenção fraudulenta, caso o contrato de trabalho desportivo celebrado com um clube estrangeiro cessar antes que tenha decorrido uma época sobre a sua celebração, salvo caso de rescisão com justa causa pelo jogador».

Fonte: A bola

Eanes discute rescisão


MÉDIO NÃO ENTRA NAS CONTAS DE ULISSES MORAIS

A Naval está a negociar a rescisão do contrato com o médio Eanes. O brasileiro, de 28 anos, tem contrato com o clube até ao final da época, mas não entra nas contas de Ulisses Morais.

O jogador já não participou no treino de sexta-feira, devendo prosseguir a carreira no Brasil.

Baradji volta sem propostas para sair


MÉDIO TENTOU SORTE EM INGLATERRA

O médio francês Sekou Baradji chega hoje à Figueira da Foz, depois de se ter ausentado alguns dias para se deslocar a Inglaterra, onde pretendia prosseguir a carreira.

Até ao momento, não chegou à Naval qualquer proposta para a transferência do jogador, de 25 anos.

Também de regresso à Figueira está Kerrouche, o último reforço dos figueirenses, que se deslocou a França para tratar de assuntos pessoais.

Depois da derrota do último sábado, ante o FC Porto, o treinador Ulisses Morais começa amanhã a preparar a receção ao Santa Clara, em jogo da Taça da Liga, agendado para o próximo domingo.

«Falta um pouco de atitude» - Bruno Lazaroni


O brasileiro Bruno Lazaroni concordou com Ulisses Morais na análise dos lances que ditaram a sorte do jogo: faltou algo à equipa da Naval nos primeiros instantes de cada parte.

O FC Porto chegou à vantagem logo aos sete minutos, num golo que terá condicionado toda a estratégia da Naval. Momentos que não se podem repetir, diz Lazaroni: «Faltou um pouco de atenção, especialmente no início da partida.

Sabíamos que o relógio jogava a nosso favor mas permitimos o golo do FC Porto.

Depois trocámos a bola e não marcámos. Na segunda parte aconteceu o mesmo, mas ainda conseguimos chegar ao 2-1.

O terceiro golo foi um banho de água fria».Lazaroni admitiu a frustração pelos maus resultados no arranque da Liga, mas garantiu que o grupo vai fazer tudo para inverter a história: «No ano passado o arranque foi bom. Este ano falta um pouco mais de atitude, só nos resta trabalhar para dar sequência no resto do campeonato».

Fonte: A bola

«Equipa deu um salto substancial» - Ulisses Morais


O treinador da Naval, Ulisses Morais, surgiu na flash-interview triste pela derrota mas satisfeito pela atitude dos seus jogadores.

Depois de na segunda-feira se ter queixado dos jogadores após a derrota frente ao Belenenses, Ulisses Morais viu evolução na sua equipa.

«Estou optimista porque em seis dias a equipa deu um salto substancial e compreendeu a atitude que tomei perante ela», admitiu, dizendo, no entanto, que não estava totalmente satisfeito, devido ao resultado desfavorável da partida frente ao FC Porto.

Morais queixou-se da «falta de eficácia» do ataque na primeira-parte, altura em que a equipa foi capaz de criar «duas ou três oportunidades para marcar» e também de nos primeiros 15 minutos a sua equipa ter sido «tímida e receosa», o que a impediu de demonstrar o que pode fazer.

«Há diferença enorme entre o que foi feitono passado recente e o que fizemos hoje.

Contra FC Porto é muito difícil fazer o que fizemos hoje. Foi prova de valia e de capacidade. Vamos ser equipa mais forte, que alcançará com naturalidade os seus pontos e vitórias», prometeu aos adeptos.

Ulisses Morais não se queixou da arbitragem nem responsabilizou Elmano Santos pela derrota, mas deixou no ar uma dúvida: «Se o terceiro golo fosse na outra área talvez fosse visto de outra forma».

Em jeito de balanço, nova mensagem positiva. Ou o mesmo dito por outras palavras: «Perder desta maneira, apresentando o que está ao nosso alcance, deixa-me com a convicção de que o que quero está mais próximo. Não estou desanimado nem receoso».

Fonte: A Bola

Pequenas Férias que já foram


Bom dia a todos os navalistas.

Como já devem ter estranhado, a não actualização do blog, venho então com este post esclareçer que a semana anterior, não estive presente na Figueira da Foz, estando numa mini férias. Como não tinha internet no local onde fui, ficou o blog sem qualquer actualização.

Estive atendo ao jogo com o Porto no estádio Bento Pessoa, onde o F.C. Porto foi eficaz e obteve uma vitória sobre a Naval de 1-3. Ficamos a aguardar que a nossa equipe dê meia volta e que ganhe bons jogos daqui para a frente. Força Naval estamos contigo.