Há sempre uma primeira vez

Figueirenses nunca venceram SC Braga, mas Michel Simplício acredita numa surpresa.

Naval e SC Braga já jogaram em 14 ocasiões, três para a Taça de Portugal e onze para a Liga.

Os resultados evidenciam clara superioridade dos minhotos: nunca perderam e somam nove vitórias e cinco empates. Já nos sete jogos em que a Naval foi anfitriã, os arsenalistas venceram por três vezes, registando-se quatro empates.

Apesar da história não favorecer os figueirenses, o brasileiro Michel Simplício está confiante.

«Esperamos um Braga mais motivado pelo resultado que conseguiu na Liga Europa, mas acredito que podemos surpreendê-los», sublinha o jogador.

Fonte: A Bola

Simplício: «Com Mozer jogamos sempre para vencer»

Avançado tem sido peça vital na ascensão da equipa

Desde que Carlos Mozer chegou à Figueira da Foz, a cidade – ainda que distante do clube – acolhe um plantel com uma nova alma. O técnico brasileiro, de 50 anos, tem sido o principal responsável pela recuperação da equipa na tabela, mas o mérito não mora sozinho em casa de Mozer. Michel Simplício é outro dos rostos da mudança.
O avançado brasileiro, de 24 anos, elogia a capacidade do técnico que lhe devolveu a vontade de fazer aquilo de que tanto gosta: jogar futebol. “Sempre trabalhei com a mesma dedicação. A diferença é que agora o treinador dá-me confiança e por isso sinto-me melhor”, analisa Simplício, antes de destacar a capacidade de liderança de Mozer.

Fonte: Record

Naval - Sp. Braga - Preço dos Bilhetes




Naval 1º de Maio - Sporting de Braga

Dia 28, Segunda-feira, pelas 20H15

Local: Estádio Municipal José Bento Pessoa

Preços dos bilhetes:
 
Sócios Central Descoberta - 5,00€
Sócios Central Coberta - 10,00€

Não Sócios Superior - 5,00€
Não Sócios Central Descoberta - 10,00€
Não Sócios Central Coberta - 20,00€ 

Vem apoiar a Naval 1º de Maio rumo à manutenção!!!!

Prolongar o grande momento

Figueirenses começam a preparar o SC Braga. Um dos jogos mais importantes da época.

A Naval atravessa a melhor fase da temporada, apesar de continuar abaixo da linha de água, no penúltimo lugar. Os figueirenses não perdem há quatro jornadas e nas últimas seis só foram derrotados pelo FC Porto no Dragão.

É impossível dissociar esta performance do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido por Carlos Mozer, treinador que continua convicto que a equipa vai conseguir alcançar as cinco vitórias que lhe poderá garantir a manutenção.

Esta quarta-feira, o treinador dá início à preparação do encontro com o SC Braga, da próxima segunda-feira, numa partida muito importante para os figueirenses, que não podem perder mais pontos. Davide é o único lesionado.

Fonte: A Bola 

Futebol Formação: Juniores perdem 0-3 com Sporting de Braga

A equipa de Juniores da Naval 1º de Maio perdeu, este sábado, por 0-3, com o Sporting de Braga, na 1a jornada da fase final do Campeonato de Juniores.

Fábio Júnior: «Mozer está a fazer um bom trabalho»

Fábio Júnior, avançado da Naval, autor do golo da sua equipa, em declarações após o empate no terreno do V. Setúbal, neste domingo, na 20ª jornada da Liga:

«Fiz um bom jogo e consegui meter um chapéu ao Diego, que foi o melhor jogador em campo. Só nos resta tentar fazer ainda melhor no próximo jogo. Estamos a correr atrás do nosso objectivo, que passa por continuar na I Liga.»

[Sobre o trabalho de Mozer] «Todos os treinadores que passaram pela Naval eram bons, mas o Mozer está a fazer um bom trabalho. Acredito que vamos conseguir atingir o nosso objectivo.»

Mozer: «Diego impediu-nos de sair com os três pontos»

Carlos Mozer, treinador da Naval, em declarações após o empate no Bonfim, frente ao V. Setúbal, neste domingo, na 20ª jornada da Liga:

«A Naval fez tudo o que tinha planeado para este jogo, mas, no futebol, temos de ter sorte. O Diego fez uma grande exibição e impediu-nos de sair daqui com os três pontos. O jogo só teve um sentido e procurámos a vitória até o jogo terminar. Houve um grande Diego na baliza. Esteve à altura do jogo e fez o que lhe foi possível para a sua equipa não sair daqui com um resultado dilatado. Conseguimos pontuar em Guimarães, um campo difícil, e estamos a somar mais pontos. Temos de rectificar a nossa situação contra o Sp. Braga na segunda-feira, aproveitando o facto de jogarem na quinta-feira para a Liga Europa.»

V. Setúbal-Naval, 1-1 (destaques)

 
 Michel Simplício
Assistiu Fábio Júnior no empate da Naval, mas fez muito, muito, mais. Projectou pelo seu lado, o esquerdo, os ataques à baliza de Diego, com um trabalho impecável e incansável. Sofreu muitas faltas, a única forma encontrada pelos sadino para travá-lo.

 
 
 
 
 
Fábio Júnior
No duelo particular com Diego acabou por perder, apesar de ter marcado o único golo da Naval. Determinado e solidário, não descansou um minuto enquanto pudesse ser útil. Começou ligeiramente apagado, mas foi crescendo com o jogo e terminou em ascensão.

 
 
 
 
 
 
 
Manuel Curto
Bom jogo do médio português, formado no Benfica, e que tem dado nas vistas na Figueira da Foz. Trabalho limpo e eficaz no meio-campo, além do precioso contributo nas bolas paradas.

 
 
 
 
Bruno Moraes
Referência para o regresso do avançado brasileiro, ex-F.C. Porto, ao futebol português, após curta passagem pela Roménia. 
 
 
 
 

V. Setúbal-Naval, 1-1 (crónica)

Figueirenses mereciam mais mas Diego não deixou 

Há cinco jogos que o Vitória não ganha em casa, há quatro que a Naval não perde, mas o ponto somado é manifestamente insuficiente para as ambições de ambos na Liga. Os figueirenses continuam em perigo de despromoção, os sadinos estão ainda muito próximos da descida, mas à confiança em Mozer acentuam-se as críticas a Manuel Fernandes.

O técnico sadino assumiu como vital a vitória sobre a Naval e os três adversários que se seguem (P. Ferreira, Olhanense e V. Guimarães), mas não conseguiu mais que um empate e bem pode agradecê-lo ao guarda-redes Diego. Foi o segundo empate seguido, depois do nulo em Aveiro. Muito pouco para os adeptos da casa, que, no final, pediram a demissão de Manuel Fernandes.

À Naval moralizada pelos três jogos consecutivos a pontuar (empates com Portimonense e Sporting e vitória sobre a Académica) respondeu um Vitória demasiado passivo (e fraco tecnicamente) para a situação em que se encontra na tabela, a apenas cinco pontos da linha de água.

Mozer, que não pôde contar com o castigado Gomis, peça fundamental na defesa, apostou em Orestes de início, mas poucas preocupações viria a ter com o último sector, ao contrário do Vitória de Setúbal, praticamente sem mãos a medir perante o volume ofensivo dos visitantes.

Foi a Naval quem começou por se impor no Bonfim e que mais ascendente teve ao longo dos 90 minutos - boa circulação de bola, jogadas bem delineadas, um meio-campo e uma frente em consonância -, porém, o guarda-redes sadino revelar-se-ia um adversário de peso.

Aos 18 minutos, por exemplo, Diego evitou que a bola entrasse na sua baliza em dois momentos da mesma jogada: o primeiro na sequência de um remate de fora da área de Carlitos; depois na recarga de Fábio Júnior.

Vantagem inesperada

Mas apesar da pressão da Naval e da sofrível reacção do Vitória, foi a equipa da casa quem inaugurou o marcador, por Neca, aos 26 minutos. Um grande golo do médio português, sem hipóteses de defesa para Salin, após um livre bem batido por Weliander Silva.

Com o golo o Vitória cresceu um bocadinho, mas não o suficiente para intimidar a Naval. Manuel Fernandes percebeu-o e ao intervalo deixou Willian (esteve mesmo em campo?) no balneário e apostou no jovem Zeca.

Só deu Diego

Tal como no primeiro tempo, a Naval entrou determinada a recuperar o tempo perdido (nas primeiras jornadas do campeonato) e, com mérito, mas também responsabilidades para a defesa da casa, chegou ao empate, logo aos 47 minutos. Michel Simplício desmarcou Fábio Júnior na frente, que, sozinho perante Diego, bateu, finalmente, o guarda-redes sadino.

Diego negaria, pouco depois, o segundo à Naval, após uma reposição de bola de Salin, mas, desta feita, Fábio Júnior não conseguiu levar a melhor sobre o guarda-redes.

Até ao fim seria Diego o garante do ponto ao Vitória, perante a ineficácia do pelotão da frente - o fraquíssimo Brasão (cinco foras-de-jogo!) e o bem intencionado Pitbull. A Naval merecia mais e Manuel Fernandes voltou a ver lenços brancos.

Fonte: Mais Futebol

Mozer acredita na vitória no Bonfim

Carlos Mozer acredita que a Naval pode somar os três pontos no jogo com o V. Setúbal, domingo, no Estádio do Bonfim. «Estamos num crescendo, podemos vencer», afiança.

«Espero que a minha equipa consiga manter o comportamento e as exibições que tem vindo a mostrar nas últimas jornadas, nunca descurando a possibilidade de conquistar o maior número de pontos», afirmou o treinador brasileiro, no lançamento ao jogo com os sadinos, adiantando a receita para o sucesso: «Temos de estar permanentemente concentrados, ter sempre uma grande atitude, pois só assim poderemos atingir o objectivo a que nos propusemos: a manutenção».

O treinador reconhece que tanto a Naval como o V. Setúbal procuram a vitória para subir na classificação, sendo que «se alguém tiver de assumir favoritismo é o Setúbal, que joga em casa».

«É uma boa equipa, não está em posição muito confortável na tabela, mas tem bons jogadores que lhe permitem assumir esse favoritismo. Nós estamos num crescendo muito grande e tenho condições de dizer que a Naval pode chegar ao Bonfim e vencer», atirou.

Orestes deve regressar à titularidade para colmatar a ausência de Gómis, que cumpre castigo. Diego e Bruno Morais podem estrear-se no Bonfim. 
 
Fonte: A Bola

Duas estreias para o Bonfim

As estreias de Bruno Moraes e Diego, a par dos regressos de Orestes e Hugo Machado, são as novidades nos convocados da Naval para o jogo em Setúbal, marcado para as 16 horas de amanhã.

Em relação ao jogo com a Académica, Carlos Mozer deixou de fora Gómis (castigado) João Pedro, Godinho e Bruno.

Lista de convocados:

Guarda-redes: Salin e Diego
Defesas: Orestes, Daniel Cruz, Carlitos, Real e Rogério Conceição
Médios: Manuel Curto, Alex Hauw, Godemèche, Giuliano e Hugo Machado
Avançados: Michel Simplício, Edivaldo Bolívia, Previtali, Fábio Júnior, Camora, Marinho e Bruno Moraes 

Fonte:  A Bola

Davide falha o resto da época

AVANÇADO OPERADO AO JOELHO ESQUERDO

O avançado Davide vai falhar o resto da temporada, devido a uma intervenção cirúrgica ao joelho esquerdo, afirmou o diretor-desportivo Nuno Cardoso à agência Lusa.
Na quarta-feira, Davide foi submetido a uma cirurgia ao joelho esquerdo, numa clínica de Lisboa, intervenção que obriga o jogador a um período de paragem nunca inferior a quatro meses.
Davide termina o seu vínculo contratual com o clube da Figueira da Foz, que representou nas três últimas temporadas, no final da época 2010/2011.
No campo técnico, o plantel da Naval prosseguiu esta quinta-feira a preparação para a visita de domingo ao V. Setúbal, num dos jogos da 20.ª jornada da Liga.
Além de Davide, Gómis, que vai cumprir um jogo de suspensão, não pode entrar nas contas do técnico Mozer.

Fonte: Record

Viagem a Setúbal



Saudações do Colectivo

Como sempre ACREDITÁMOS
vamos desta vez dar o nosso apoio
à Equipa em Setúbal

Domingo, 20 Fevereiro de 2011
16H00

Vitória de Setúbal - NAVAL

Viagem de apoio a Setúbal
Saída às 09H30 do Estádio
Paragem em Fátima para oração
Toda a Força é bem vinda
Até a Divina

Preços
Viagem
Bilhete para o jogo
Almoço de Leitão
25€
Por se tratar de uma viagem excepcional
não há distinção de preços entre Sócios da Claque
e não Sócios

Informações

Orestes espreita titularidade


Gomis, castigado, é a principal ausência na Naval para o jogo com o Vitória de Setúbal. Uma baixa importante para o conjunto de Carlo Mozer, que terá de fazer alterações no eixo defensivo.

Sem o francês, uma das alternativas poderá passar pela entrada de Orestes, que tem estado afastado da equipa por opção. O brasileiro, ao que tudo indica, parte em vantagem para ocupar um lugar no onze, sendo que uma das soluções também poderá passar pela entrada de Rogério Conceição.

Michel Simplício, um dos jogadores em foco nos últimos jogos, destacou ontem o bom momento. «Os dois golos reforçam a minha confiança. Felizmente ajudaram a equipa a conquistar pontos, mas temos de prosseguir este ciclo na importante partida em Setúbal», disse.

Fonte: A Bola

Futebol de Formação - Resultados do fim de semana

A equipa de infantis B segue em 1º lugar da sua série. Este fim de semana bateu o Marialvas B por 4 bolas a zero. Confira os restantes resultados e classificação das equipas do Departamento de Futebol de Formação da Naval 1º de Maio.

Juvenis | Camp.Distrital
Académica/SF 4 - Naval 4
A Naval segue em 6º lugar com 28 pontos.


Iniciados | Camp.Nacional
Sp. Pombal 6 – Naval 4
A Naval terminou esta fase do campeonato em 5º lugar com 34 pontos.

Iniciados | Camp.Distrital
Esperança 0 – Naval 2
A Naval segue em 4º lugar e tem 41 pontos.

Infantis | Camp. Distrital
Sourense 0 - Naval A 19
Ala Arriba 0 - Naval B 3
A Naval B segue em 1º lugar com 51 pontos. Naval A está em 3º lugar com 42 pontos (e menos um jogo)

Benjamins | Camp. Distrital
Naval B 0 - Vateca A 2
A Naval B segue em 5º lugar com 30 pontos. A Naval A está em 3º lugar com 36 pontos (e menos um jogo)

Fonte: Associação Naval 1º de Maio

Simplício e a subida da Naval: «Consequência do nosso trabalho»


«Esquecido» por Zvunka, ignorado por Rogério Gonçalves, Michel Simplício conheceu uma nova vida com Carlos Mozer. O conterrâneo deu-lhe confiança e jogos, agora chega a vez de o avançado retribuir com golos, nas últimas duas jornadas.

«Tenho vivido um bom momento e o melhor de tudo é que os golos que tenho marcado têm permitido a conquista de pontos. Este é o meu melhor momento da época, mas se não puder marcar quero assistir os meus colegas, para atingirmos os nossos objectivos», considera o brasileiro.

A Naval já deixou a lanterna vermelha da classificação, perdeu apenas com o F.C. Porto desde a chegada de Mozer, que somou oito pontos em cinco jogos, e habituou a equipa a marcar em todos os jogos. «Estamos a crescer e os resultados que têm aparecido são consequência do nosso trabalho. Estamos cada vez mais confiantes de que vamos tirar a Naval desta situação», vaticina o avançado.

A última prova de que os figueirenses estão no bom caminho chegou no último domingo, com a vitória sobre a rival Académica, a quem apenas tinham vencido uma vez em casa. «Este era um jogo importante por ser um derby. O facto de já não ganharmos há muito tempo em casa, já tinha sido falado, e havia uma grande cobrança entre o grupo, para invertermos esta situação. Antes deste jogo, sentimos que tínhamos de nos unir ainda mais para darmos uma alegria aos nossos adeptos», remata.

Fonte: Mais Futebol

4ª Prova Torneio de Escolas


Realizou-se em Coimbra, no passado dia 12 de Fevereiro a 4ª Regata do Torneio de Escolas e provas complementares da Associação de Remo da Beira Litoral.

A Naval participou nesta prova com 16 atletas tendo alcançado os seguintes resultados:

Escalão 0 Masc. 4º lugar, Fábio Branco;

Escalão 1 Fem. 5º lugar, Ana Silva;

Escalão 1 Masc. 7º lugar, David Jordão;

Escalão 2 Fem. 3º lugar Raquel Pimentel;

Escalão 2 Masc. 6º lugar Daniel Steiner e 12º Fábio Alves;

Escalão 3 Fem. 2º lugar, Nancy Cantante; 3º Patrícia Silva e 5º Soraia Pais

Nas provas complementares os resultados foram os seguintes:

• Skiff Iniciado Feminino, 3º lugar, Catarina Silva;

• Skiff Juvenil Masculino, 1º lugar, Francisco Oliveira; 2º João Morgado;

• Double Juvenil Masculino, 2º Lugar, Luis Lopes / Francisco Azenha; 4º lugar, Carlos Lourenço / Manuel Silva

Fonte: Departamento Naval Remo

Fábio Júnior (Naval): «Unidos, vamos dar a volta a situação»

Fábio Júnior, avançado da Naval, no final da vitória dos figueirenses, por 3-1, este domingo, sobre a Académica:

«Vencemos logo num clássico importante e estes três pontos serão muito importantes para sair do lugar em que nós estamos. Temos condições, se continuarmos unidos, para dar a volta à situação. Vamos trabalhar para isso. Com a vontade de todos e também um pouco de sorte, vamos chegar lá. Sem beliscar os treinadores anteriores, a verdade é que o Mozer tem passado uma maior confiança para nós.»

Mozer feliz por quebrar o jejum

Carlos Mozer (Naval):

«Estamos a trabalhar para conseguirmos a manutenção e temos a segunda volta para somar pontos. Hoje, tínhamos a oportunidade e materializámo-la. Estivemos muito bem, frente a uma boa equipa. Penso que a vitória não oferece contestação. Entrámos bem e isso possibilitou-nos chegar ao 2-0. A Académica trabalhou melhor na segunda parte mas nós estivemos sempre organizados. O terceiro golo surge numa altura de maior risco do adversário e assim matámos o jogo. Estamos no caminho certo para diminuirmos a diferença os nossos rivais directos. Foi uma vitória importante pelo tempo [11 meses] que a Naval não vencia em casa e por ter sido num derby do centro. Mas também há que destacar que fizemos seis golos nos últimos dois jogos.»


Naval-Académica, 3-1 (destaques)

Fábio Júnior

Abriu o caminho para a vitória ao conseguir a grande penalidade de que resultaria o primeiro golo da partida. Mas já tinha deixado a sua marca anteriormente com uma série de iniciativas que ajudaram a deitar o adversário ao tapete. Mesmo com menos bola, na segunda parte, continuou a não dar sossego à defesa académica. Prova disso foi o lance do 3-1, em que sentou Peiser, antes de servir João Pedro.

 
Simplício

Na esquerda ou no centro, depois do vermelho para Gomis, foi um quebra-cabeças para a Académica pelas arrancadas em potência e velocidade. Apontou o segundo golo da equipa e manteve a baliza de Peiser sempre debaixo de mira.

 

Marinho

Jogou com tanta impetuosidade que cedo foi «amarelado» mas não perdeu o discernimento. Decisivo no lance do segundo golo figueirense, ao «adivinhar» a intenção de Peiser: captou a bola antes que saísse e coloco-a à mercê do remate vitorioso de Simplício.




Naval-Académica, 3-1 (crónica)

Figueirenses já sabem ganhar em casa 

Exactamente 11 meses e um dia depois da última vitória em casa, a Naval voltou a conhecer esse doce sabor. O regresso aos triunfos, depois de tanto tempo, aconteceu diante do adversário perfeito, o rival da capital de distrito, a quem os figueirenses tinham vencido enquanto visitados apenas por uma vez.

Vencer a Académica não só permitiu quebrar o recorde maldito como significou a saída, definitiva, do último lugar da tabela, onde a equipa tinha caído desde a nona jornada. A satisfação só não foi maior porque o Rio Ave ganhou e manteve a linha-de-água a quatro pontos mas, agora sim, os navalistas acreditam.

Carlos Mozer já fez oito pontos em cinco jogos, mais do que Zvunka e Rogério Gonçalves juntos (cinco), somou a segunda vitória ao leme da equipa Mais: os figueirenses perderam apenas uma vez, no Dragão, e marcaram em todos os desafios.

Quanto a José Guilherme ainda anda à procura de um triunfo no Campeonato e somou apenas dois pontos, no mesmo número de partidas na principal competição. Claro que nem tudo é da sua responsabilidade. A Académica não ganha para a Liga desde 26 de Novembro, em Setúbal, que é, também, o último triunfo da equipa como visitante, ainda sob a vigência de Jorge Costa.

Estudantes sem antídoto para Fábio Júnior

A Naval começou cedo a encostar o adversário às cordas. Sempre que tinha a bola, Fábio Júnior impunha um ritmo impossível de suportar para Pape Sow e demais companheiros da defesa. O brasileiro ameaçou, tal como Godemèche e Simplício, e começou a resolver a partida quando sofreu grande penalidade devido a uma entrada extemporânea de Sow. O senegalês voltou a ser expulso e Gomis, da linha de onze metros, não perdoou perante o ex-colega Peiser.

Em maus lençóis, a reacção dos estudantes foi praticamente inexistente. As dificuldades em sair para o ataque, agora sem Miguel Fidalgo devido aos ajustes que foi preciso fazer lá atrás, deixavam os da casa à vontade. Tão à vontade que o 2-0 não tardou, no aproveitamento perfeito de um erro de Peiser, que, ao querer aliviar para fora, colocou a bola em Marinho, que serviu Simplício para o golo. Na resposta, Sougou falhou de baliza aberta. Desnorte total da Briosa!

O intervalo fez bem aos de Coimbra. Apesar de jogarem com 10, mostraram-se mais organizados e decididos. O golo de Sougou, novamente na conversação de uma grande penalidade, deu novo alento aos homens de José Guilherme até porque Gomis também foi expulso.

O equilíbrio voltou e a Académica forçou o empate mas acabou por sofrer o 3-1 num lance de contra-ataque em Fábio Júnior, para não variar, teve papel decisivo. Nos confrontos com as equipas da região centro, a Briosa mantém a tendência de não conseguir resistir aos vizinhos.
 

«A Naval está mais forte que a Académica» - Mozer

O treinador da Naval assume o favoritismo da sua equipa para o encontro deste domingo diante da Académica, garantindo confiança na obtenção da vitória.

«A Naval está mais forte que a Académica. Os últimos resultados demonstram isso, pelo que assumimos o favoritismo. Nestas últimas semanas tenho constatado que a equipa mostra um crescendo muito grande, está mais fortes e acredito que consigamos conquistar a vitória», disse Mozer, no lançamento da recepção aos estudantes.

Apesar de ser último classificado, estando a quatro pontos da salvação, o treinador da Naval mostra-se então convicto na capacidade da sua equipa em evitar a descida.

«Nas duas últimas partidas empatámos, somámos pontos e continuo convicto de que seis vitórias, ou os pontos equivalentes serão suficientes para o nosso objectivo, pelo que espero que amanhã consigamos uma delas», vincou. 

Fonte: A Bola

Alex Hauw regressa aos convocados

O médio francês Alex Hauw está de regresso aos convocados da Naval, para a recepção deste domingo à Académica.

Face ao jogo com o Sporting (empate 3-3), Carlos Mozer prescindiu de Hugo Machado da convocatória.

Davide (impedimento físico), Orestes, Bruno Moraes, Tiago Rosa e Diego (opção técnica) continuam fora dos eleitos.

Eis a lista completa de convocados:

Guarda-redes: Salin e Bruno Jorge;

Defesas: Daniel Cruz, Carlitos, Real, Gómis e Rogério Conceição;

Médios: Curto, Alex Hauw, Godinho, Godemèche, Giuliano, Camora e Marinho;

Avançados: Michel Simplício, Edivaldo Bolívia, Previtali, João Pedro e Fábio Júnior. 

Fonte: A Bola

Preços dos bilhetes para o Naval - Académica


NAVAL - ACADÉMICA 

Domingo, dia 13 de Fevereiro, pelas 16H
Local: Estádio Municipal José Bento Pessoa 

Preços dos bilhetes:
Sócio Descoberta - 5,00 €
Sócio Coberta - 10,00 €
------------------------------ 
Não Sócio Superior - 10,00 €
Não Sócio Descoberta - 20,00 €
Não Sócio Coberta - 30,00 €
 
Vem apoiar a Naval 1º de Maio
 

Carlitos garante equipa em grande


Carlitos destaca importância do jogo com Académica
 
Capitão lança embate do fim-de-semana
 
O defesa da Naval Carlitos disse que o "duelo" com a Académica, da 19.ª jornada da Liga, assume foros de grande importância para o futuro da equipa.
"Ser ultimo da tabela não é uma posição confortável" salienta o jogador, justificando: "Temos de nos abstrair dessa situação, abordar a partida de uma forma determinada já que sabemos que este é um jogo de capital importância direi mesmo que pode ser o jogo das nossas vidas".
Carlitos é oriundo da região e um dos jogadores que mais vezes alinhou no "clássico" regional, uma vez que defende as cores figueirenses desde 2001/02 totalizando 229 jogos em representação da Naval, 121 deles na Liga.
"É um jogo que tem alguma envolvência exterior dada a proximidades das duas cidades, todavia, para os jogadores será um jogo que vale três pontos como qualquer outro e que certamente as das duas formações querem vencer", frisou.
O lateral figueirense mostra-se confiante e a aritmética figueirense aponta os 28 pontos como meta para a conquista da manutenção.
"Estamos a crescer, e isso dá-nos confiança, temos de apresentar um futebol fluido, com princípio, meio e fim, e se o conseguirmos estou convicto de que poderemos festejar a vitória", disse.
O jogo entre Naval e Académica disputa-se pelas 16:00 de domingo, no Estádio José Bento Pessoa, na Figueira da Foz, sob arbitragem de Carlos Xistra, de Castelo Branco.

Fonte: Record

Sorteio relativo à segunda fase do Campeonato Nacional de Juniores da 1ª Divisão

Apuramento do Campeão. 

Realizou-se no dia 7 de Fevereiro, na sede da Federação Portuguesa de Futebol, o sorteio relativo à segunda fase do Campeonato Nacional de Juniores da 1ª Divisão, que definiu as jornadas de apuramento do campeão e decisões de manutenção e descida.

As equipas que vão disputar esta fase, para apuramento do campeão, são F.C.Porto, Sporting, U. Leiria, Naval 1º de Maio, V. Guimarães, Gondomar, Braga e Benfica

O sorteio ditou o seguinte calendário:
1ª Jornada (19.02.2011)F.C. Porto-U.Leiria
Gondomar-V.Guimarães
Naval 1º de Maio-Braga
Benfica-Sporting
2ª Jornada (26.02.2011)U.Leiria-Benfica
V.Guimarães-F.C.Porto
Braga-Gondomar
Sporting-Naval 1º de Maio
3ª Jornada (05.03.2011)U.Leiria-V.Guimarães
F.C.Porto-Braga
Gondomar-Sporting
Benfica-Naval 1º de Maio
4ª Jornada (08.03.2011)V.Guimarães-Benfica
Braga-U.Leiria
Sporting-F.C.Porto
Naval 1º de Maio-Gondomar

5ª Jornada (12.03.2011)
V.Guimarães-Braga
U.Leiria-Sporting
F.C.Porto-Naval 1º de Maio
Benfica-Gondomar

6ª Jornada (19.03.2011)Benfica-Braga
Sporting-V.Guimarães
Naval 1º de Maio-U.Leiria
Gondomar-F.C.Porto
7ª Jornada (23.03.2011)Braga-Sporting
V. Guimarães-Naval1º de Maio
U. Leiria-Gondomar
F.C.Porto-Benfica


Bruno Moraes já se pode estrear


Boas notícias para Carlos Mozer. O certificado internacional de Bruno Moraes, avançado contratado pela Naval aos romenos do Glória Bistrita, chegou ontem a Portugal, pelo que o brasileiro poderá ser uma das armas para o duelo da próxima ronda, com a Académica.

«Estou feliz pelo regresso ao futebol português e pela confiança que a Naval depositou em mim. Sinto-me um pouco ansioso, mas muito motivado em poder ajudar a equipa», confessou ontem o reforço figueirense, que, apesar da situação complicada, acredita na manutenção da Naval na Liga:

«Quando cheguei estava inteirado da posição da Naval, aceitei o desafio e não me arrependo, sou mais um para poder ajudar e estou convicto que o vamos conseguir.»

Fonte: A Bola

Campo sintético “será uma realidade” – garante autarca João Ataíde

NAVAL: Direcção e treinador defendem melhor aproveitamento dos juniores

Armando Guindeira e Luís Carvalho garantem que no plantel de juniores da Naval existem bons valores que podem, num futuro muito próximo, integrar a equipa principal de futebol do clube.
O director da Formação e o treinador acreditam que “agora” estão reunidas as condições para que se aproveite melhor o «produto» de formação local.
Aos bons resultados obtidos pelos juniores no campeonato nacional soma-se uma novidade há muito esperada: a construção de um campo de futebol de piso sintético.

Pela primeira vez na história da centenária associação, os juniores da Naval 1.º irão disputar a fase final do Campeonato Nacional da I Divisão. A equipa da Figueira da Foz, treinada por Luís Carvalho, depois de vencer o Belenenses por 2-1 em Janeiro passado, irá discutir o troféu com as congéneres do Futebol Clube do Porto, Vitória de Guimarães, Braga e Gondomar (zona norte) e Sporting, Benfica e União de Leiria.
Este marco histórico na vida dos juniores da Naval foi já assinalado, sábado passado, no decurso de um jantar que contou com a presença dos jogadores, equipa técnica e directiva, presidente e vereador (Desporto) da Câmara Municipal da Figueira da Foz.

Atletas desperdiçados
Presentemente a equipa principal da Naval 1.º de Maio conta nas suas fileiras com apenas um jogador oriundo das camadas de formação do clube. “As pessoas teimam em ir buscar jogadores de fora, não dando tempo aos nossos juniores para crescer”, refere a propósito Luís Carvalho lamentando que esta aposta tenha feito, nos últimos anos, com que “estes atletas acabem por deixar de praticar desporto, perdendo-se bons valores do futebol nacional”.
Numa tentativa de inverter este ciclo, o técnico espera poder contribuir este ano com alguns atletas.
Olhando para o universo desportivo em que se insere, Luís Carvalho explica que os juniores da Naval, ao contrário de outros, jogam por amor à camisola, não ganhando qualquer tipo de retribuição monetária.

Falhas de comunicação
Esta visão é, também, partilhada por Armando Guindeira, director do departamento de Futebol de Formação da Naval 1.º de Maio.
“Tem havido uma falha na interligação entre os juvenis e os seniores”, salienta o técnico com esperança num novo rumo assente na “boa abertura por parte do presidente Aprígio Santos” e até do treinador Carlos Mozer.
“Estou convencido que de vamos ultrapassar rapidamente esta situação”, sublinha o responsável.
Os bons resultados desportivos obtidos poderiam ainda assim ser diferentes, acredita Armando Guindeira, se aos juniores fossem dadas outras condições de treino. Uma delas, um campo sintético, em vez do actual, de areia.
O escalão de juniores paga cerca de dois mil euros mensais (entre aluguer de campos, despesas com viaturas, treinadores e seccionistas) para manter em plena actividade o plantel que disputa jogos de norte a sul do país, incluindo Açores e Madeira.
Cerca de 1.800 euros é o orçamento respeitante à fase final do Campeonato em jogo.

Um novo sintético
As preocupações do director da Formação e do treinador ficaram minimizadas pela garantia deixada pelo presidente da Câmara da Figueira: em Janeiro passado foi candidatada a construção de um campo sintético (uma obra a ser construída no actual campo de treinos). O projecto, orçado em cerca de 480 mil euros, poderá contar com um financiamento até 80% do valor.
“Esta é uma obra fundamental e uma infra-estrutura necessária para esta modalidade desportiva. A Câmara mostra um sinal inequívoco de apoio a uma modalidade desportiva que movimenta cerca de 300 jovens”, garante João Ataíde para quem “é dever da autarquia apoiar o desporto de formação”.

Naval Kids - o garante do futuro desportivo
Assumindo-se como uma frente de apoio ao fomento da prática do futebol concelhio junto das camadas mais jovens da população, a centenária associação Naval 1.º de Maio tem procurado dar uma especial atenção ao capítulo da formação.
Muito mais do que um «mero» projecto desportivo, a aposta pretende ser um complemento cívico à vida dos jovens futebolistas.
O projecto Escola Naval Kids – iniciado em Setembro de 2010 e integrando actualmente 65 jovens entre os 4 e os 10 anos – conta com o apoio técnico de Rui Murta, Pedro Simões (coordenador técnico), Pedro Henriques e Gonçalo Gomes.
Entre outros eventos, os jovens atletas (em vários escalões) participaram na 1ª jornada do Torneio de Futebol organizado pela Associação Portuguesa de Escolas de Futebol, 2.ª jornada do Grupo 3 do Torneio de Escolas de Futebol (não federadas) e Liga “Brincando ao Futebol 2010-2011”. 

Sporting-Naval, 3-3 (destaques)

Michel Simplício
Recuperado para a titularidade recentemente, o avançado brasileiro moeu por completo o juízo a Abel. Muito mexido, procurou criar perigo com diagonais da esquerda para as proximidades de Fábio Júnior. Autor do segundo golo da equipa figueirense, está ainda na origem do terceiro tento. 




Godemèche
Nunca complica, cumprindo à risca as ordens do treinador, mas ainda assim sabe aparecer sorrateiramente na zona de finalização. Faz a assistência para o golo de Michel Simplício e assume depois a autoria do terceiro tento, ainda que contando com a contribuição de Rui Patrício.




Salin
Sofre três golos sem culpas, e ainda evitou que Liedson se despedisse com 174 golos de leão ao peito. Com a defesa figueirense a jogar muito adiantada no terreno soube ser um libero pragmático, sendo que entre os postes foi sempre sinónimo de segurança.





Fonte: Mais Futebol

«Na maior parte do jogo fomos muito superiores» - Carlos Mozer

Carlos Mozer, treinador da Naval, era um homem orgulhoso depois do jogo com o Sporting. Estava frustrado por não ter conseguido ganhar, depois de tanto esforço, mas fez um discurso positivo, de elogio aos jogadores.

«Estivemos a seis minutos de ganhar, mas infelizmente no final da partida as coisas não correram como desejávamos. Ainda assim, o resultado não é tão mau assim», disse o treinador.

O antigo internacional brasileiro considerou que a sua equipa esteve muito bem frente ao Sporting - «acho que na maior parte do jogo fomos muito superiores ao Sporting», disse – e acrescentou que o terceiro golo do Sporting foi conseguido «numa jogada de sorte».

Depois de dizer que pelo «trabalho e dedicação» da sua equipa «não seria injusto sair de Alvalade com os três pontos».

Carlos Mozer explicou que depois de um mau arranque no campeonato, a mudança na equipa se deveu a uma recuperação da confiança dos jogadores. «No futebol tudo é possível quando se acredita. No ano passado a equipa fez um belíssimo campeonato, conseguiu o oitavo lugar, e este ano tiveram dificuldade grande no campeonato. O mais importante é que a Naval recuperou auto-estima e estão a ajudar o treinador a levar a bom porto o que desejamos».

Antigo defesa-central, Mozer elogiou Liedson, o adversário que se despediu de Alvalade com dois golos. «Para azar nosso o Liedson estava em campo e marcou como sempre marcou em sete épocas. É um jogador excepcional, criativo, aproveita muito os espaços que lhe concedem e quando não concedem ele inventa qualquer coisa. Desejo-lhe ainda com a idade que tem, pelo que joga, pelo que se dedica, brilhe ainda muito».

Fonte: A Bola

Camora e Marinho falam em injustiça

FIGUEIRENSES queriam os três pontos


No final da partida, os jogadores da Naval evidenciavam alguma tristeza pelo ponto conquistado em Alvalade. Camora e Marinho acabaram por ser os porta-vozes da desilusão navalista e defenderam que mereciam o triunfo.
“Saímos daqui com sabor a pouco. Temos consciência do trabalho que fizemos e acreditamos que a vitória era o resultado mais justo. Fomos a equipa que esteve melhor em campo”, defendeu Camora, de 24 anos.
O companheiro de equipa, que fez a formação no emblema de Alvalade, também ficou insatisfeito com igualdade. “Temos crescido desde a última vez que cá viemos”, referiu o jogador, de 27 anos, reconhecendo que sabiam que iam encontrar os leões a passar por um mau momento. “Este resultado é extremamente injusto. O Sporting teve a felicidade que trabalhámos para ter mas não conseguimos. Infelizmente, cometemos erros no último minuto.”

Fonte: Record

Fábio Júnior: «Empate com sabor a derrota»

Avançado fala em união no grupo

A Naval saiu de Alvalade com o gosto amargo do empate (3-3), pelo menos a avaliar pelas palavras de Fábio Júnior no final da partida.
"O resultado foi justo, mas é um empate com sabor a derrota: estávamos com os 3 pontos na mão e deixámos fugir", afirmou o avançado dos figueirense à Sport TV.
Questionado sobre o que tinha mudado na equipa desde a entrada de Mozer para o papel de treinador, Fábio Júnior falou na união que o grupo vive atualmente.
"O Mozer incentiva-nos do princípio ao fim, mesmo nos treinos durante a semana. Temos uma boa relação e o grupo está unido. Cada jogo é uma final para nós, concluiu.

Fonte: Record 
 

Fernando Mira: «Resultado injusto»

Adjunto figueirense satisfeito com exibição 

Fernando Mira foi o elemento da equipa técnica da Naval que falou à imprensa no final da partida em que os figueirenses empataram com o Sporting (3-3), em Alvalade. O treinador adjunto gostou da exibição mas refere que o resultado penalizou a sua equipa.
“Foi um bom jogo de futebol com um resultado injusto para nós. A Naval merecia os 3 pontos”, comentou o técnico no final da partida, na “flash interview”.
Mira mostrou-se confiante para o futuro da equipa na luta pela permanência: “Os jogadores têm sido sempre os mesmos, infelizmente não conseguíamos marcar golos, mas agora isso já está a mudar. Somámos 1 ponto importante para a nossa luta e vamos continuar sempre com a ambição de vencer em todos os jogos”.

Fonte: Record

Naval empata em Alvalade (3-3) no adeus de Liedson

Noite negra para o Sporting, no dia em que em Alvalade se procurava uma despedida festiva de Liedson, de partida para o Brasil.

Depois das derrotas com Paços de Ferreira e Estoril, mais um adversário equipado de amarelo deixou o leão à beira do KO. Desta vez, a proeza foi da Naval (empate 3-3), à entrada para a jornada 18 último classificado da liga, apenas com 9 pontos conquistados, fruto de três empates e duas vitórias. E se o leão não perdeu deve-o, essencialmente, a Liedson que mostrou, no dia em que se despediu de Alvalade, tudo o que fez dele um dos maiores jogadores da história do leão.

A noite começou mal quando se percebeu que ao pedido de Liedson para os adeptos encherem o Estádio José Alvalade, poucos foram os que responderam positivamente. Com casa vazia, o Sporting colocou-se à mesma em vantagem e logo através de Liedson, aos 33 minutos. O levezinho aproveitou uma bola solta na área e com o sentido de oportunidade que fez dele herói do Sporting, marcou, parecendo estar a abrir caminho para uma vitória folgada.

A Naval jogava solta e a verdade é que soube aproveitar a felicidade que teve nos instantes finais da primeira parte. Aos 43 minutos Fábio Júnior – que com um livre directo já tinha espalhado o perigo – marcou de grande penalidade o 1-1 e aos 45 minutos foi a vez de Michel Simplício marcar, aproveitando cruzamento da direita de Godemèche.

Ao intervalo a Naval vencia em Alvalade e se Postiga fez o 2-2 aos 59 minutos, também de grande penalidade, Godemèche, talvez o melhor em campo, manteve a sua equipa na luta pela manutenção. Foi aos 67 minutos, com um remate de fora da área, com o pé esquerdo, que o francês marcou o terceiro golo da sua equipa.

Aos 80 minutos, João Pedro cheirou o 2-4, aproveitando uma desatenção de Evaldo, mas a bola saiu por cima da baliza de Rui Patrício. Falhou o navalista o golo e pagou a sua equipa a factura. Saiu cara, como ao longo dos últimos sete anos saiu caro a muitos adversários ter de jogar contra Liedson.

O levezinho lutou até ao fim e conseguiu o golo do empate já perto do final. Conseguiu o golo do empate e conseguiu, também, relançar o Sporting para o jogo. Nos minutos que ficaram a faltar, ainda os leões cheiraram o golo de novo, mas o despertar foi tardio.

Para a história fica o empate a três golos, dois dos quais de Liedson, ponta-de-lança que muita falta fará ao Sporting, agora que está de saída para o Corinthians. Para a história ficam, também, as lágrimas de Liedson e dos adeptos, nas bancadas. A história dos clubes também é feita destes momentos.

Fonte: A Bola

Mozer confiante para Alvalade

Na antevisão à deslocação a Alvalade, jogo marcado para este sábado, o treinador da Naval, Carlos Mozer, diz que a sua equipa tem por objectivo somar pontos, de forma a poder lutar pela manutenção no principal Campeonato.

«Temos consciência que jogar no reduto do Sporting é sempre muito difícil, mas temos confiança naquilo que temos trabalhado, confiança que temos melhorado muito e confiança na moral que reina no interior da equipa», disse Mozer, apelando à concentração dos seus jogadores.

«Quando as coisas ou os resultados não são bons, é necessário aumentar a concentração. Defrontamos uma grande equipa com grandes valores individuais, se queremos ter algum êxito, concentração é factor fundamental», vincou.

O treinador não quer saber do momento do adversário, nem sequer de atenções especiais em relação a Liedson, que vai despedir-se do clube de Alvalade. «As minhas preocupações estão com a Naval e com aquilo que poderemos fazer, temos um objectivo, conquistar sete vitórias, todo o nosso pensamento está nisso mesmo», disse. 

Fonte: A Bola

Giuliano de regresso para Alvalade

O regresso de Giuliano constitui a novidade na lista de convocados da Naval para o encontro com o Sporting, marcado para esta sexta-feira, em Alvalade.

Em relação ao último jogo – vitória frente ao Penafiel por 1-0 para a Taça da Liga -, o treinador Carlos Mozer prescindiu do gaulês Alex Hauw.

De fora ficaram os últimos reforços do plantel (Bruno Moraes, Diego e Tiago Rosa), assim como Davide (impedimento físico) e Orestes (opção técnica).

Eis a convocatória completa:

Guarda-redes: Salin e Bruno Jorge;

Defesas: Daniel Cruz, Carlitos, Real, Gómis e Rogério Conceição;

Médios: Manuel Curto, Godinho, Godemèche, Giuliano, Hugo Machado, Camora e Marinho;

Avançados: Michel Simplício, Bolívia, Previtali, João Pedro e Fábio Júnior.

Fonte: A Bola

Marinho quer celebrar regresso a Alvalade com vitória

Marinho, avançado da Naval 1.º de Maio, disse hoje que vencer o Sporting em Alvalade é o objetivo primordial da equipa no encontro de sexta-feira, que abre a 18.ª jornada da Liga Zon Sagres.

“É um jogo muito difícil. As dificuldades não nos podem inibir a ambição de querer conquistar os três pontos, muito necessários para que rapidamente possamos sair da incómoda situação em que nos encontramos”, vincou o jogador, formado no Sporting, referindo-se ao 16.º e último lugar da classificação (9 pontos).

Marinho rejeita o rótulo de “jogo especial”, justificando: “Vamos encarar o jogo da mesma forma como encaramos todos os outros, vão estar em disputa três pontos, vamos lutar para que caiam para o nosso lado”.

O avançado da equipa da Figueira da Foz manifestou que não é indiferente ao facto de defrontar a equipa do clube em que se formou, terceira classificada do campeonato (31 pontos), mas prometeu dar tudo pela Naval.

“Há qualquer coisa que mexe connosco quando retornamos àquela casa. Foi ali que passei a minha juventude mas existe o dever profissional e vou fazer tudo o que estiver ao meu alcance para conquistar os três pontos”, declarou.

Sporting e Naval, defrontam-se sexta-feira, pelas 20:15, no Estádio José Alvalade, em Lisboa, em partida que será dirigida pelo setubalense Bruno Esteves.


Remo - Resultados da 3ª Regata do Torneio de Escolas e provas complementares

NOTA IMPRENSA

Após ter sido anulada por 2 vezes devido a condições meteorológicas adversas, realizou-se em Coimbra, no passado dia 29 de Janeiro a 3ª Regata do Torneio de Escolas e provas complementares da Associação de Remo da Beira Litoral.
A Naval participou nesta prova com 15 atletas tendo alcançado os seguintes resultados:
Escalão 1 Fem. 4º lugar, Ana Silva;
Escalão 1 Masc. 5º lugar, David Jordão e 8º Lugar, Alexandre Machado
Escalão 2 Masc. 3º lugar Daniel Steiner e 8º Fábio Alves;
Escalão 3 Fem. 2º lugar, Nancy Cantante; 6º lugar, Soraia Pais e 7º Patrícia Silva.
 
Nas provas complementares os resultados foram os seguintes:

Skiff Iniciado Feminino, 3º lugar: Catarina Silva;
Double Iniciado Masculino, 3º lugar: Bruno Acúrcio e Rodrigo Mota;
Skiff Juvenil Masculino, 3º lugar: Carlos Lourenço e 5º lugar, Manuel Silva;
Quadri Juvenil Masculino, 4º lugar: Luis Lopes, Francisco Azenha, João
Morgado e Francisco Oliveira.

Fonte: ASSOCIAÇÃO NAVAL 1º DE MAIO - DEPARTAMENTO DE REMO