Trofense-Naval, 1-2

Foto por Carina Monteiro
Primeira vitória fora para os figueirenses



A Naval conquistou este domingo a primeira vitória fora de casa na Liga Orangina, derrotando por 2-1 o Trofense, que à oitava jornada ainda não tinha perdido na Trofa para o campeonato.
Fabiano (10') e Ricardo Ehle (80') marcaram os golos forasteiros, enquanto Feliz (71') fez o único golo dos locais. A equipa da Figueira da Foz começou melhor e justificou o golo de Fabiano, no qual houve muitas culpas do defesa Santos e do guardião Marco, que não fizeram uma boa leitura do lance e permitiram o cabeceamento fácil do avançado brasileiro.
Na segunda parte, os locais voltaram a entrar ansiosos mas já mais concentrados nas trocas de bola e no estudo das jogadas, enquanto a Naval decidiu remeter-se à defesa do seu meio campo.
Mas tudo corria mal à equipa de António Sousa - que cedo ouviu assobios vindos da bancada - já que, aos 56', João Pereira e Marco quase protagonizavam um autogolo: a bola raspou o poste e saiu pela linha final.
Dois minutos depois, aos 58', novo azar para o Trofense: Feliz rematou com muita força na direção da baliza, Taborda estava batido, mas a bola encontrou o poste pelo caminho.
Tanta insistência acabou por dar frutos e Feliz, um avançado emprestado pelo Rio Ave, sentiu o gosto do golo pela primeira vez nesta época, marcando aos 71', após passe de cabeça de Crivellaro.
Com o empate feito, ambas as equipas aumentaram o ritmo de jogo e correram à procura do segundo golo. Marco redimiu-se das falhas na primeira parte, ao defender heroicamente várias tentativas dos figueirenses. Mas a insistência voltou a ditar as regras e, aos 80', Ricardo Elche marcou o segundo golo dos visitantes, após canto de Hugo Santos.
Jogo no Estádio do CD Trofense, na Trofa.
Trofense-Naval, 1-2
Marcadores: 0-1, Fabiano (10'); 1-1, Feliz (71'); 1-2, Ricardo Elche (80').
Trofense: Marco, João Viana, Santos, João Pereira, Pedro Araújo, Tiago, Janderson (Edú, 34'), Feliz, Gilmar (Reguila, 65'), Zé Manel e Fortes (Crivellaro, 30').
Naval: Taborda, Carlitos, Ricardo Elche, Frechaut, Williams, Sandro, Leandrinho (Godinho, 60'), Edivaldo, João Pedro (Zé Rui, 78'), Fabiano e Michel Simplicio (Hugo Santos, 21').
Árbitro: Jorge Tavares (Aveiro).
Ação disciplinar: cartão amarelo para Pedro Araújo (4'), Edivaldo (22'), Zé Manel (49'), Edú (69'), Feliz (77'), João Pereira (82') e Taborda (90'+3).
Assistência: 1.315 espectadores.

Fonte: Record

Muitas alterações forçadas


O treinador do Trofense, António Sousa, por impossibilidade de Dinis e André Carvalhas, lesionados, e de David, castigado, vai ser obrigado a proceder a várias alterações no onze. Mas nem tudo são más notícias, já que Tiago (na foto), após ter cumprido um jogo de castigo, regressa à equipa. Para além do aspecto competitivo, este jogo leva de regresso à Trofa o técnico Daniel Ramos, querido pelos adeptos trofenses, que não esquecem a época em que levou o clube à subida de divisão. Apesar do carinho, há três importantes pontos em disputa, com a Naval a procurar a primeira vitória para o campeonato fora de portas. A tarefa não se apresenta fácil, mas os figueirenses apresentam-se na máxima força.

Equipas Prováveis

 Estádio do CD Trofense
 Árbitro Jorge Tavares (AF Aveiro)

Trofense

Trigueira; Pedro Santos, Santos, João Pereira e Pedro Araújo; Crivellaro, Tiago e Edú; Zé Manel, Reguila e Feliz
Outros convocados: Marco, Elvis, João Viana, Janderson, André Viana, Fortes, Fábio Moura e Gilmar
Treinador António Sousa

Naval

Taborda; Carlitos, Frechaut, Ricardo Ehle e Williams; Godinho, Leandrinho e Edivaldo; João Paulo, Fabiano e Michel Simplício
Outros convocados: Guilherme, Tiago Mesquita, Leomar, Sandro, Guiliano, Hugo Santos, Zé Rui e Prévitali
Treinador Daniel Ramos

Fonte: O Jogo

Naval 1º de Maio: Daniel Ramos promete ambição frente ao favorito Benfica


O treinador da Naval 1.º de Maio, Daniel Ramos, garantiu que o facto de ter o Benfica como adversário na quarta eliminatória da Taça de Portugal não tira à equipa legitimidade e ambição de querer vencer.
"Reconheço favoritismo ao Benfica", sublinhou o treinador da equipa da Liga de Honra, considerando: "Ninguém nos pode tirar a ambição e determinação que vamos colocar na eliminatória sempre com o pensamento em vencê-la".
"Defrontar o Benfica, um dos mais credenciados clubes nacionais, concede-nos a possibilidade de voltarmos a competir ao mais alto nível", acrescentou.
O técnico da equipa da Figueira da Foz sublinhou ainda que este encontro "pode significar um bom encaixe financeiro para a Naval".


Fonte: O Jogo

Vitória de Setúbal vence 1a mão


Taça da Liga: 1a Eliminatória

Naval 1 Vitória de Setúbal 2

Marcadores: Símplicio (Naval), Bruno Amaro e Jorge Gonçalves (Vitória de Setúbal)
Público: perto de 100 pessoas
Resumo: O Vitória venceu por 2-1, num jogo em que foi a Naval a ter mais e melhores oportunidades para marcar. Mais felicidade para a equipa sadina, que marcou contra a corrente do jogo e depois conseguiu aproveitar os erros da equipa da casa para conseguir ganhar vantagem na eliminatória.


Fonte: Record 

Naval 1 - Freamunde 1 - Empate castiga figueirenses

JOGO MUITO MORNO NA FIGUEIRA


A Naval e o Freamunde empataram este sábado a um golo, em partida da sétima jornada da Liga Orangina, resultado que se ajusta ao futebol praticado pelas duas equipas, inócuo, inoperante e de fraca qualidade.
Um golo de Hugo Santos, aos 21 minutos, e outro de Serginho, aos 47’, foram o sinal positivo de uma partida muito mal jogada, na qual Naval e Freamunde pouco fizeram durante os 90 minutos regulamentares para justificar outro resultado.
Os dedos de uma só mão são mais que suficientes para contar as oportunidades de golo construídas pelas duas formações ao longo da partida.
Com este empate, o Freamunde sobre ao grupo dos quartos, com 9 pontos, enquanto a Naval desce uma posição, colocando-se no 14.º lugar.
Na primeira vez que se aproximaram com perigo da baliza dos "capões", os figueirenses inauguraram o marcador por Hugo Santos, ao minuto 22.
Leandrinho ganhou a bola nas imediações da área dos visitantes, evitou um adversário e assistiu Hugo Santos que rematou de primeira batendo o guardião Tó Figueira.
Esperava-se que o golo pudesse espevitar as equipas, mas puro engano, uma vez que até ao intervalo ambos os guarda-redes não passaram de meros espectadores e o futebol jogado pelos dois conjuntos foi fraco.
O intervalo foi bom para os visitantes, que, dois minutos após o recomeço da etapa complementar, chegaram ao empate na sequência de um lance de bola parada cobrado por Serginho.
Esperava-se reação dos donos da casa, contudo, estes acabaram por responder com lentidão e pouca objetividade, pelo que, o empate de certa forma castiga inoperância dos locais, que foram a equipa que mais atacou.
O Freamunde, depois de conseguir o empate, fez o jogo que mais lhe convinha, abdicou totalmente do ataque e procurou fechar todos os caminhos para a sua baliza, saindo premiado com 1 ponto.
Naval-Freamunde, 1-1
Marcadores: 1-0, Hugo Santos, 22 minutos; 1-1, Serginho, 47’
Naval: Taborda, Carlitos, Frechaut (Fabiano, 71’), Rogério Conceição (Ricardo Ehle, 13’), Willams, Giuliano (Edivaldo Bolívia, 58’), Sandro, Leandrinho, João Pedro, Previtali e Hugo Santos
Freamunde: Tó Figueira, Amorim, Luís Pedro, Sérgio Nunes, Serginho, Babo (João, 41’), Bruno Magalhães, Brandão, Luciano (Machado, 56’), Pedro Moita e Horácio (Nana K, 72’)
Árbitro: Hélder Malheiro (Lisboa)
Ação disciplinar: Cartão amarelo para: Luís Pedro (75’), Brandão (80’), Leandrinho (83’)
Assistência: 150 espectadores
Fonte: Record

Edivaldo de regresso aos convocados



Edivaldo é o destaque da convocatória da Naval para a recepção ao Freamunde, em jogo da sétima jornada da Segunda Liga.
Sinal positivo também para a recuperação de João Pedro, que nos últimos dias evoluiu em trabalho condicionado.De fora continuam Carlos Fernandes e Roberto, ainda em fase de recuperação de lesões. No caso do lateral esquerdo, Willams será o substituto natural, enquanto para a ausência de Roberto duas alternativas se colocam: Previtali ou Fabiano, com o francês a posicionar-se provavelmente como primeira alternativa. 

Lista de convocados:
Guarda-redes: Taborda e Guilherme
Defesas: Ricardo Ehle, Carlitos, Leomar, Willams e Rogério Conceição.
Médios: Sandro, Frechaut, Leandrinho, Giuliano e Godinho 
Avançados: Michel Simplício, Previtali, Edivaldo , João Pedro, Hugo Santos, Zé Rui e Fabiano

Fonte: A Bola

Carlitos parado na Naval e estreia para Mesquita

Foto por Carina Monteiro
Devido a um traumatismo num pé, sofrido em Macedo de Cavaleiros, Carlitos, um dos totalistas da Naval, (tal como Taborda) não tem treinado. Caso se confirme sua a indisponibilidade, Tiago Mesquita, ex-Alavés, pode estrear-se no lado direito da defesa. Carlos Fernandes e Roberto são outras dúvidas.


Fonte: O Jogo

A muralha de Catanduva

GUILHERME DEFENDEU UM PENÁLTI



Foto por Carina Monteiro

No Grémio Catanduvense, onde jogou na época passada e foi o herói da subida à Série A1 do campeonato paulista, chegou a ser conhecido como “a muralha”. Guilherme, um gigante de 1,89 metros e 88 quilos, foi então descoberto pela Naval e esta época tem, em Portugal, a sua primeira experiência no futebol europeu.
“Vou em busca da minha independência financeira, mas tenho um carinho muito especial pelo Grémio Catanduvense”, disse, em julho último, à imprensa brasileira.
No domingo, Guilherme realizou apenas o segundo jogo oficial com a camisola da Naval, mas acabou por ser decisivo no apuramento da equipa para a 4.ª eliminatória da Taça de Portugal. Substituiu o habitual titular Taborda na baliza dos figueirenses, tal como já tinha acontecido na última jornada da fase de grupos da Taça da Liga diante do Santa Clara, e mostrou ao treinador Daniel Ramos que pode contar com ele para o que resta da temporada.
Fonte: Record

Naval vence Macedo de Cavaleiros


A Naval 1º de Maio eliminou o Macedo de Cavaleiros e segue para a próxima eliminatória da Taça de Portugal. O Macedo de Cavaleiros marcou primeiro, mas os Navalistas empataram o encontro já na segunda parte, levando o mesmo a prolongamento, durante o qual nenhuma das equipas conseguiu desempatar a partida. Na marcação das grandes penalidades, os nossos jogadores foram mais eficazes, trazendo para a Figueira da Foz a vitória por 2-4 no total de golos.
Marcadores: Rogério Conceição (empate); Grandes penalidades: Godinho, Hugo Santo e Prévitali. Guilherme defendeu um penalti.

Amanhã, Macedo de Cavaleiros - Naval 1º de Maio


Amanhã, pelas 15h, em Macedo de Cavaleiros, a Naval 1º de Maio defronta os locais para a 3ª eliminatória da Taça de Portugal.

Taborda respeitador

Foto por Carina Monteiro
A Naval prepara a deslocação a Macedo de Cavaleiros e, apesar da diferença de estatuto entre as equipas, Taborda lembra a motivação da Taça para as mais pequenas. "É uma equipa combativa e crente numa surpresa, por isso vai ser um jogo de tudo ou nada", disse o guarda-redes, antes de dar a receita para o jogo. "Respeitamos o adversário, somos favoritos e vamos para ganhar". Sendo um dos totalistas da equipa, Taborda está satisfeito com a época que tem vindo a realizar e agradece ao técnico "a confiança transmitida".

Fonte: O Jogo

Frechaut: «Estou a 100 por cento»

PRONTO PARA A SUA ESTREIA PELOS FIGUEIRENSES



Passado pouco mais de 2 anos, Frechaut está prestes a voltar aos relvados portugueses. O ex-internacional assinou pela Naval em agosto último e desde essa altura que procura a melhor forma.
Depois de se ter estreado na lista de convocados do técnico Daniel Ramos na recente derrota (0-1) frente ao Atlético, Frechaut poderá fazer mesmo o seu primeiro jogo pela Naval no próximo domingo, em Macedo de Cavaleiros, para a Taça de Portugal. Desde 30 de julho de 2009 – Sp. Braga-Elfsborg, 2-1, para a Liga Europa – que o defesa/médio não atua em Portugal.
Fonte: Record

Hugo Santos pronto a bisar

Foto por Carina Monteiro
Apesar de trabalhar condicionado, Hugo Santos deverá estar disponível para o encontro da Taça de Portugal com o Macedo de Cavaleiros. Curiosamente, na época passada o avançado fez o gosto ao pé frente à equipa da II Divisão, então ao serviço do União da Madeira. Já Carlos Fernandes, Roberto e Delson continuam em dúvida para o jogo.

Fonte: O Jogo

Associação Naval 1º de Maio cria secção de Râguebi


Seleção Nacional


Além do futebolremo tiro, a Naval vai iniciar-se no râguebi que, em termos de competição oficial, terá como base a componente de seven’s emergentes.
Nuno Marques, responsável pela secção navalista, confidenciou ao DIÁRIO AS BEIRAS que, a curto prazo, o principal objetivo da secção será o incrementar da formação, embora exista também o propósito de se poder vir a constituir (dentro de uma ou duas épocas) uma equipa no vetor tradicional da modalidade.

Candidato frágil fora

A derrota frente ao Atlético confirma um cenário que tem marcado o início de época da Naval: jogar fora de casa tem sido um problema. Em quatro jogos oficiais, um deles para a Taça da Liga, a formação de Daniel Ramos tem num empate, com o Aves, o melhor resultado. Números pouco condizentes com um candidato à subida.

Fonte: O Jogo

Tantas cautelas e poucos pontos

Foto por Carina Monteiro
A Naval não conseguiu dar sequência a três jogos sempre a pontuar e sofreu a terceira derrota na Liga Orangina. Pela quarta vez, terceira consecutiva, o técnico Daniel Ramos apostou na dupla de médios-defensivos Sandro e Godinho. Tantas cautelas, contudo, não são sinónimo de pontos e a Naval, nestes quatro jogos, foi derrotada duas vezes, venceu uma e empatou outra.

Fonte: O Jogo

Próximo jogo, dia 16 de Outubro para a Taça de Portugal

Após uma paragem de 2 semanas na Liga Orangina por jogos das Selecções, a Naval 1º de Maio volta à competição, dia 16 de Outubro num jogo contra o Clube Atlético de Macedo de Cavaleiros, para a 3ª Eliminatória da Taça de Portugal. Uma deslocação importante, dado que a Taça de Portugal traz sempre surpresas e todo o cuidado é pouco. Portanto, deveremos encarar este jogo com um único sentido, o da vitória.

Atlético 1 Naval 0

Foto por Carina Monteiro
Navalistas perdem oportunidade de se chegar à frente



No primeiro confronto da história entre os dois clubes, o Atlético saiu vencedor frente à Naval, pela margem mínima, e continua no comando da Liga Orangina após um jogo equilibrado.
Nenhuma equipa começou por arriscar abertamente, num sinal de respeito mútuo, factor apenas alterado nos minutos finais da primeira parte, quando depois de um remate mal dirigido de Tony Taylor, a Naval, em lances de bola parada, testou a atenção de Caleb. O intervalo chegou por isso sem golos, no seguimento de uma fase equilibrada, jogada mais sobre o miolo.
O recomeço não podia ter sido melhor para o Atlético, que logo após a bola de saída ganhou o canto que esteve na origem do único golo da partida. Leandro Pimenta apontou-o na direita do seu ataque, o defesa Rogério, num desvio de cabeça, levou a bola a bater no segundo poste, e ela rolou sobre a linha de golo na direcção do primeiro, onde apareceu Tiago Caeiro a dar o toque final. A partir daqui, o técnico da Naval apostou no reforço atacante e o domínio do jogo passou a pertencer aos visitantes. Todavia, o Atlético, que trocou o seu habitual 4x3x3 pelo 4x4x2, mostrou-se uma equipa coesa, com sentido de entreajuda e disciplinada tacticamente; assim sendo, perante o quase sucessivo "despejar" de bolas para a sua área, conseguiu defender a vantagem. O sentido de jogo da Naval não era suficientemente esclarecido e prático e esbarrava na eficácia defensiva dos alcantarenses, que nunca deixaram de procurar responder em contra-ataques rápidos, a explorar o adiantamento posicional do opositor.

Declarações

"Estamos a desafiar a lógica do campeonato. Os jogadores estão focados naquilo que têm de fazer."
João de Deus
treinador do Atlético

"Tivemos mais domínio e oportunidades. O Atlético defendeu a vantagem e tem uma equipa acutilante."
Daniel Ramos
treinador da Naval

Fonte: O Jogo