Naval-Beira Mar, 2-2 (destaques)

Rastilho de esperança foi Curto 

Manuel Curto

Herói inesperado da partida, embora com todo o mérito. Já antes de se ter dirigido, por duas vezes, para a marca dos 11 metros merecia destaque pela forma como lutou e tentou, sempre de meia-distância, chegar ao golo. Sem Fábio Júnior em campo, ele que falhara a primeira grande penalidade, avançou sem medo e, com direito, a bis, prolongou um pouco a esperança navalista.



João Real

Teve dois lances de golo, sempre em subidas à área, que só não deram melhor resultado porque Rui Rego foi enorme entre os postes no primeiro e porque a pontaria não foi a melhor no segundo. É curioso como, apesar de central, se destaca muitas vezes pela forma oportuna como sobe em lances de bola parada. 



0 comentários: