Mozer não se rende

Carlos Mozer (Naval):

«O facto de a equipa, mesmo a perder por 2-0, ter mantido sempre grande atitude, construindo jogadas bem estruturadas, e mostrando grande controlo emocional, faz-nos acreditar que podemos conseguir a manutenção. Hoje conseguimos criar oportunidades de golo, mas não tivemos sorte na finalização. Falhámos nesse capítulo, mas penso que isso não é problemático. Pior seria se não tivéssemos ocasiões de golo. Vamos continuar a lutar e a sonhar, até à última jornada, porque merecemos permanecer na primeira liga.

[Sobre a sua expulsão] Não fui agressivo nas palavras. Fui falar com o fiscal de linha e disse-lhe que ele tinha de sustentar a decisão que tomou. O Tatu estava muito adiantado, o fiscal de linha levantou a bandeira, e isso fez a defesa da Naval parar. Depois, o árbitro mandou jogar, e o fiscal baixou a bandeira. O árbitro não gostou dos meus protestos e disse-me que eu estava a prejudicar o trabalho dele. E eu disse-lhe que, se calhar, ele também estava a prejudicar o meu trabalho e o dos meus jogadores.»

0 comentários: