"Raça e alma"

Foto por Carina Monteiro
Tal como tinha prometido, o presidente Aprígio Santos não demorou a preencher o lugar após a saída de Daniel Ramos. Filipe Rocha, de 39 anos, chegou de Espinho e ontem orientou o primeiro treino. A cinco jornadas do final o tempo urge e o novo técnico preocupou-se de imediato em passar a mensagem ao plantel, adotando um discurso corajoso. "Quero os atletas preparados para dar tudo em campo, morrer se necessário", disse. "Raça e alma" foram das palavras mais pronunciadas por Filipe Rocha, que abraça pela primeira vez o desafio de orientar uma equipa de uma liga profissional. O técnico agradece a oportunidade e quer agarrá-la com força, revelando o desejo de subir com a Naval à I Liga, apesar dos sete pontos de atraso em relação ao últimos dos lugares que dá esse acesso. Mas, no dicionário de Filipe Rocha, não consta a palavra impossível, pelo que entende ser da sua equipa a obrigação de cumprir o seu papel e esperar para fazer as contas finais. "A subida é possível, se ganharmos os nossos jogos e os outros perderem", referiu. A estreia não podia ser mais aliciante. A Naval desloca-se ao terreno do líder e Filipe Rocha promete apresentar uma equipa ambiciosa. "Frente ao Estoril não temos nada a perder, só a ganhar", disse, sem esconder o estilo de jogo que pretende implementar no próximo sábado. "Vamos jogar no risco, no sentido inteligente".

Fonte: O Jogo

0 comentários: