Naval-Arouca, 0-0

Foto por Carina Monteiro
Falta de criatividade no Bento Pessoa



Naval 1.º de Maio e Arouca empataram, este domingo, sem golos, em jogo da 14.ª jornada da Liga Orangina, disputado na Figueira da Foz.
Edivaldo Bolívia desperdiçou para a formação figueirense, treinada por Daniel Ramos uma grande penalidade perto do final do encontro, mas o nulo, num jogo de qualidade diminuta, castiga a falta de criatividade das duas equipas.
Com este resultado, a equipa da Figueira da Foz somou este domingo, o 105.º dia sem vencer no Municipal figueirense, a ultima vitória data de 25 setembro frente ao Penafiel (1-0), e mantém-se no sétimo lugar com 20 pontos, enquanto o Arouca permanece no 11.º posto com 17.
A história dos primeiros 45 minutos reporta-se a quatro lances - dois para cada equipa - que poderiam ter originado golo, numa fase em que foi disputado um jogo sem emoção e com pouca qualidade técnica.
Mesmo assim, entraram melhor os visitantes que, logo ao terceiro minuto, desperdiçaram uma boa ocasião para inaugurar o marcador com Romeu Torres a cabecear para defesa de Taborda com os pés.
A formação da casa respondeu aos minutos 20 e 22, com um cruzamento remate de Carlitos devolvido pelo poste e, depois, com Roberto, frente a Bruno Conceição, a desperdiçar uma oportunidade de inaugurar o marcador.
Aos 60 minutos, o Arouca reclamou a marcação de uma grande penalidade, por pretenso derrube a Roberto, no momento em que o avançado brasileiro tentava rematar um bola que Taborda defendeu de forma incompleta.
Pouco depois, aos 78, Romeu Torres ainda bateu Taborda, mas João Ferreira anulou o lance, por alegada mão na bola do jogador arouquense.
Perto do final, na outra área, num lance de insistência figueirense, João Ferreira apontou para castigo máximo por mão de Paulinho. Na sequência da decisão o treinador do Arouca, Vítor Oliveira, sofreu ordem de expulsão, mas, na cobrança do castigo máximo, Edivaldo Bolívia rematou ao poste.
Fonte: Record

0 comentários: