Um matador seria bem-vindo à equipa


A Liga Orangina entrou no segundo terço e a Naval, uma das equipas candidatas à subida de divisão, tem acumulado prestações competitivas intermitentes, contrariando a estabilidade e coerência reveladas pelo treinador Daniel Ramos. Hoje, o grupo de trabalho reúne-se à mesa para festejar a quadra festiva. "Vamos passar um Natal mais sorridente, com uma vitória e saúde", salienta Daniel Ramos. "Foi o que pedi", revela. A derrota caseira diante do Estoril ficou atravessada. "O Licá foi meu jogador (no Trofense, em 2009/10) e foi o homem do jogo, seguido do Gonçalo", diz ainda inconformado com o 3-0 caseiro. Licá bisou e assistiu o terceiro golo, enquanto Gonçalo fez duas assistências para golo. No domingo passado novo teste, desta vez na Madeira, frente ao ex-clube, o União, com os navalistas a passarem com distinção ( 1-3). "Foi fundamental concretizarmos esse objectivo de regressar às vitórias. O grupo tem sabido sofrer e, aos poucos, vamos construindo uma grande época desportiva. Estamos no bom caminho", vaticina.
Daniel Ramos festeja 41 anos no próximo domingo, dia de Natal, e gostava de receber um presente. "Precisamos de um avançado", atira, esperando agora pela resposta de Aprígio Santos.

Fonte: O Jogo

0 comentários: