Entrevista a João Pedro

Depois de muito tempo sem a realização de entrevistas, muito por falta de tempo, O Navalista volta a utilizar a entrevista como elo de ligação entre os atletas navalistas e os seus sócios, adeptos e simpatizantes. Hoje, fomos até ao Estádio Municipal José Bento Pessoa entrevistar João Pedro, extremo-direito da equipa de futebol profissional da Naval SAD. Sempre optimista, João falou um pouco sobre a diferença entre a Liga de Honra e a Liga Zon Sagre, dos objectivos da equipa para este ano e também sobre a cidade que o acolheu na época transacta. 

Aqui fica a entrevista na integra:

O Navalista: Tendo participado tanto na Liga de Honra como na Liga Zon Sagres, quais são as principais diferenças que existem entre ambas?

João Pedro: A diferença que há é que acho que na II Liga, o futebol é mais de força, mais de combate enquanto na I Liga acho que é um futebol com mais espaço e mais qualidade técnica.

O Navalista: A Naval quebrou, no fim-de-semana passado, um enguiço que já durava há alguns meses. Qual é a tua opinião sobre o facto de não conseguirem, até àquela data, resultados mais positivos? Achas que há algum motivo especifico?

João Pedro: Não... o motivo era as bolas não entrarem... quer dizer... nós tivemos aqui jogos que não foram bem conseguidos mas tivemos jogos em que jogámos bem e as bolas não entravam e em contrapartida, cada vez que eles (adversários) iam lá conseguiam fazer golos, mas eu acho que agora neste jogo, já foi um bom jogo e conseguimos ganhar e a partir de agora é ver se as coisas continuam a correr bem. Sabemos que temos de ganhar os jogos em casa. Estamos a 3 pontos do objectivo. É continuar a trabalhar da mesma maneira e tentar ganhar para conseguir os nossos objectivos.

O Navalista: Como tens mais experiência na Liga de Honra, quais são, para ti, os aspectos mais relevantes a serem ultrapassados para que a Naval consiga, no final, alcançar os seus objectivos?

João Pedro: Pela experiência que eu tenho na II Liga, as equipas que sofrem menos golos são as equipas que conseguem subir de divisão e nós estivemos bem nesse campo. Conseguimos ter uma equipa sensivelmente compacta e que não sofra muitos golos e depois nós à frente acabamos sempre por fazer golos. Acho que vai ser o mais importante para depois conseguirmos subir de divisão...é não sofrer golos.

O Navalista: És um dos jogadores que mais se destaca na frente de ataque da equipa. Que filosofia tens para teres sucesso no teu trabalho?

João Pedro: A minha filosofia é trabalho. Trabalho todos os dias para fazer o meu melhor, para nos treinos mostrar ao mister que posso ser útil no fim-de-semana e depois é a minha qualidade, pois consigo exprimir-la dentro de campo   e as coisas têm corrido bem.

O Navalista: Quais são os teus jogadores de referência?

João Pedro: Não tenho nenhum jogador de referência. (Um nome?) Não, não tenho ninguém para quem olhe. Olho para os jogadores da minha posição mas olho para todos em geral...não tenho ninguém favorito.

O Navalista: Um treinador que te tenha marcado?

João Pedro: Todos me marcaram um bocado porque aprendi com todos um bocadinho...por isso ganhei coisas com todos. Não quero estar a destacar um porque aprendi com todos embora uns tivesse jogado mais, outros menos, mas também aprendi muita coisa com os que joguei menos.

O Navalista: Um momento de felicidade na tua carreira?

João Pedro: A chegada à I Liga foi um momento em que fiquei muito feliz porque trabalhei muito para isso, mas também tive outros...quando fui campeão da Europa de Sub-17. Acho que esses dois momentos foram os mais marcantes.

O Navalista: Um momento menos feliz? 

João Pedro: A descida de divisão.

O Navalista: Um desejo?

João Pedro: Que consigamos subir outra vez. (risos)

O Navalista: O que é que gostas mais na nossa cidade?

João Pedro: Eu gosto da Figueira da Foz. É uma cidade que podia ter mais alguma coisa, mas é uma cidade em que para se viver é tranquilo. Para se criar os filhos é óptima, não há muita confusão e depois temos a praia que é muito bom e acho que é uma cidade boa para se viver, tanto que comprei uma casa aqui. É uma cidade que eu gostei e estou a gostar de estar cá.

O Navalista: Para terminar, o que gostarias de dizer aos sócios, adeptos e simpatizantes da Naval 1º de Maio?

João Pedro: Gostaria que eles aparecessem mais no estádio para apoiar a equipa. Sei que a Naval não tem a tradição de ter muitos adeptos no estádio, mas a gente precisa também do apoio deles porque acho que é importante para uma equipa que quer subir de divisão ter o apoio dos adeptos.

Siga o conselho do João Pedro e venha apoiar a equipa que representa a sua cidade e concelho ao Estádio Municipal José Bento Pessoa. Juntos conseguiremos a subida!!!

0 comentários: